sexta-feira, 30 de junho de 2017

AÇOITANDO CAVALO MORTO (?)

Joilson Gouveia*

O silêncio midiático nacional parece ecoar no rincão local e localizado no renomado blog caetés, ou seria leve impressão? Ao que se denota desde janeiro figura diária e semanalmente nesse espaço assaz visitado, lido e comentado; ou não?
Diz-se que “não seve açoitar cavalo morto”; é bem verdade! Mas, também, superestimar ou valorar e valorizar decaídos “perdedores” se antolha não querer sepultar o moribundo equino; ou não?
Ademais, insinua-se ser o povo do interior a sua salvação, o que é (ou seria) desmerecer o cidadão interiorano como se fora desprovido de conhecimento, ciência e saber quanto ao defunto que precisa ser ressuscitado!
Bem por isso e que tais, nossa Alagoas ser o que é: ninho de cobras, jararacas e serpentes predadoras letais; o que é deveras lastimável!
Sinceramente, é indesculpável senão temerário! Alagoas não pode nem deve servir de casamata, bunker, trincheira e valhacouto aos que buscam tão-somente manter o privilegiado foro por prerrogativa de função parlamentar, para evitar as dúzias de investigações, inquéritos, processos e denúncias que dormitam nas prateleiras empoeiradas da mais alta core totalmente acovardada, nas palavras daquela asquerosa jararaca-escarlate, que é tão-réu quanto sua presidente de “partido”, que instiga, atiça e açula sua súcia escarlate e milícias rurais paramilitares munidas de foices, estrovengas e facões a esbulhar direitos de cidadãos e cidadãs honestos, honrados, decentes e dignos trabalhadores avessos aos paredistas sindicalizados e que, efetivamente, não trabalham nem são trabalhadores rurais ou urbanos. É fato!
A democracia modelo é a cubana ou venezuelana senão coreana do norte! Típico de Palermas Totalitários!
Abr

*JG

DUELO DE RODRIGOS NA DEMOCRACIA TABAJARA

Joilson Gouveia*

Estupefatos, pasmados e apalermados, sem nenhuma mais mínima admiração, às expelidas descargas janotistas, janotices e janotadas de intrépido, diligente e esmerado olhos-de-lince de garridice alguma, que, no ocaso, dispara toda sua artilharia retribuindo à gratidão à ascensão ao cargo de paladino-xerife-da-nação pelas imaculadas, honradas e probas mãos comunapetralhistas ao “golpista, traidor, fascista e até satanista” – segundo os inimigos figadais do ex-vice-presidente ideal, preferido dos aliados, admiradores e provectos ascetas e vestais unidos na coalizão vencedora, vitoriosa e triunfal, por duas vezes contínuas escolhido a nove dígitos pelo criador da criatura: 2010 e 2014 – o atual presidente sofre as agruras, amarguras e ácidos dissabores de seus comparsas, cúmplices e coparticipantes no maior e mais oprobrioso, inescrupuloso e criminoso estelionato eleitoral, nunca antes visto na história de nossa tíbia, aviltada e espoliada democracia tabajara.
Eis que, enfim, o vetusto xerife-mor conseguiu enxergar o que não vira nos desgovernos do “criador e da criatura”, eméritos padrinhos e/ou patronos e patrocinadores da ascensão estratosférica de um simplório, acanhado e mero açougue-do-bairro à maior empresa de proteína animal e derivados da América Latina e oxalá do mundo inteiro ou planeta terra, que, de 2003 a 2012, foi majorada em 9.820% em face da bonomia, graçola e generosa samaritana gestão escarlate com os recursos da caixa-preta do BNDES. Pasmem!
Ah! Antes que tripudiem-me de diatribes, estultices, estultilóquios, salacidades, achincalhes, achaques e assacadilhas vis símiles, similares e semelhantes aos dirigidos ao indigitado presidente eleito por eLLes e esses mesmos que querem sua cabeça numa bandeja de prata, o meu “Fora, Temer!” foi dado desde a segunda gestão do “criador” – até pus o nefasto, nefando e funesto “lulalá” ... Errei! Confesso-lhes: sou falível; mas não mais insisti no erro como seus alimárias, sequazes e séquitos idiotas úteis; que fazem “greve-geral e protestam” esbulhando o inalienável, intransigente, intransigível, impostergável e sacrossanto direito de ir, vir, ficar, estar e permanecer, queimando pneus, entulhos e lixos como eLLes, nas vias, rodovias e estradas “dessepaiz”!
Olvidam ou dissimulam e fingem não saber que tudo isso é parte imanente, ínsita, inerente e integrante dos programas, projetos e planos da mesma tesoura-escarlate gramscista, que permanece cortando, literalmente, nossas divisas, riquezas, tesouros e Erário brasileiros, como sói acontecido desde o professor de Sorbonne, ultimados no foro de São Paulo/1990: anelam a Pátria-Grande sonhada pelo “democrático defunto Fidel”. Canalhas!
Esperar, pois, que o outro Rodrigo (o Maia) faça o que Cunha não fez: rejeitar dezenas de pleitos de impeachment (37 ao todo) até aceitar ao último, que resultou na “queda sem coice” urdida, tecida e tramada pelos dois ex-presidentes do STF e Senado (este já defenestrado da liderança do compadrio triunfal) que cassou os anéis para preservar seus tentáculos; é uma temeridade (sem trocadilhos) bem como é uma incógnita ACEITAR e RECEBER DENÚNCIA do que o homônimo (Janot) não o fizera em toda sua gestão quadrienal: denunciar sua governanta; que o nomeara xerife-da-nação, nem mesmo às duas centúrias de parlamentares envoltos em negociatas, falcatruas, corrupção de corruPTos e corruPTores, consabida, notada, delatada e notoriamente envolvidos (e citados nas colaborações-premiadas) no PTrolão, principalmente, que fora um dos três pilares desconsiderados e rejeitados por Cunha no alegado “G.O.L.P.E”, que aprenderam a soletrar, ainda que dados a defecar, urinar, cuspir e vituperar nos seus “protestos”. É hilário? Não! É abominável, execrável e repudiável! – “Protesto é coisa de quem não tem poder!” (Geraldo Vandré)
Enfim, ainda resta-lhes a última trincheira, bunker e valhacouto escarlate: STF; que é composto por nove dos onze nomeados por eLLa e eLLe; o qual deverá ser condenado num dos seis processos em que figura como RÉU.
Ah! Os açougueiros chinfrins continuam muito bem: livres, leves e soltos (riquíssimos como seus padrinhos; claro!) gozando, literalmente, nos “isteites” e não só de nossas caras, infelizmente!
Abr
*JG

P.S.: aceite-se, apure-se, processe-se, afaste-se, julgue-se e condene-se, se for o caso, mas dentro dos liames das mesmas regras constitucionais postas. Ah! Mas ambos presidentes são réus, estão impedidos de assumir à presidência na vacância deste! Assuma-se o relevante cargo a presidente do STF, ou o conselho da república convoque o triunvirato marcial castrense federal, para eleições gerais em até 180 dias, no máximo! ;)

quinta-feira, 29 de junho de 2017

A RENÚNCIA TEM SIDO SUA TÁBUA-DE-SALVAÇÃO

Joilson Gouveia*

O nosso literato caetés e tupiniquim “Peninha”, culto, inteligente, contundente, procedente e percuciente em suas astutas, argutas, sagazes e mordazes sátiras, diatribes, crônicas e análises conjunturais, no mais da vez, até que tem sido demasiado generoso, benevolente e caridoso em noticiar ou comentar aquilo que está fadado ao ostracismo inútil do imprestável, inservível e descartável lixo histórico, desconstruído, desmascarado ou desnudado pelas operações da polícia federal desde o caso rumoroso íntimo-amoroso-noticioso noticiado daquela sua colega de profissão, que virou destaque em revistas masculinas, desde os idos de 2007: Mônica Veloso; salvo lapso de memória; que deu azo ao “rei-do-gado-douradorenunciar, para não ser cassado, julgado, condenado e até preso, o qual já demonstrara seus ardis, artimanhas e insólitas, insidiosas e sórdidas atitudes desde quando se dizia “líder” da tropa-de-choque do “caçador-de-marajás” da outrora “república de Alagoas”. Nesses tempos impeachment não era G.O.L.P.E. Era exemplo de cidadania e remédio amaro da democracia!
A renúncia tem sido a sua salvação temporária!
Eis, pois, o que assesta em seu renomado blog, a saber:
·   Ganhou pouca repercussão na mídia nacional a “renúncia” do senador Renan Calheiros à liderança do PMDB no Senado.
·    Era inevitável: Calheiros não liderava mais nada. Ficando onde estava só tinha a perder. O grupo que comanda o PMDB, hoje, está fechado com Temer por não ter para onde caminhar – não há expectativa de poder futuro – e os sinais são de que ele fica até o fim de 2018.
·    É o que grita o silêncio das ruas.
·   Calheiros segurou a sua posição até quanto deu. Dali pra frente era só mais desgaste. Deixou pra trás o “tamo junto”, que dirigiu ao atual presidente, com quem sempre teve uma briga engarrafada, quando Dilma caiu.
·   Temer já havia nomeado dois ministros de Alagoas prescindindo do apoio de Calheiros, que há de ter suas próprias preocupações com o futuro- inclusive com a Justiça.
·   Por óbvio, ele vai tentar fazer o caminho de volta, que de há muito deixou para trás, redescobrir Alagoas e tentar reconstruir o perfil que já teve nos primeiros anos de sua longeva carreira política.
·   Calheiros precisa de votos, Temer, não. Tão somente os 172 deputados que barrarão a denúncia da PGR na Câmara Federal.
·   Para quem acha que a saída de Calheiros da liderança do PMDB é um sinal de que o barco, de fato, já afundou, é bom lembrar que na arca de Temer não cabe o “bicho” chamado povo.(Sic.) Sem grifos no original in http://blog.tnh1.com.br/ricardomota/2017/06/29/renan-calheiros-renunciou-ao-que-nao-tinha-em-busca-do-que-perdeu/
Ora, na barca, barco ou arca de nenhum desses “nossos representantes” jamais coube nem caberá o “bicho povo”, exceptio aos séquitos comissionados apaniguados e parentela deLLes, meu caro Peninha! É fato!
Aliás, a não-repercussão, na mídia nacional, já prenuncia o ocaso do “reinado” ou ultimato ao seu “império” – há, pois, mais de uma dúzia de investigações, inquéritos, processos ou denúncias sobrestadas nas empoeiradas prateleiras das “altas cortes totalmente acovardadas” à espreita prescricional em face a odiosa prerrogativa de foro por função privilegiada albergada no valhacouto da impunidade generalizada: STF – que indica servir, se prestar ou significar: Soltar Todos Finórios, mormente se vestais colarinhos brancos. Ou não?
As ruas estão silentes, é bem verdade, sim! Mas por corroborar ao que já havíamos dito: eLLa não fora reeleita por “mais de 54 milhões de votos”; fato inconteste e já dito, repetido, reiterado, replicado e desafiado porquanto retratado nas fotos de posse de 2011 e 2015 – comparem-nas! -, bem como do alheio, ausente, mouco e surdo barulho de seus “eleitores”, nas ruas. Fizeram o diabo para não perder as eleições/2014: não perderam; mas não venceram! É fato!
Digo-lhe mais: havendo eleições gerais com votos impressos em três vias, em 2018, “todos os santos e anjos”, do atual parlamento bicameral nacional, perderão seus foros privilegiados e de suas abjetas prerrogativas de impunidades, mormente se houver eleições transparentes, conferíveis e auditáveis!
As abstenções, nulos e brancos, mormente em 2014 e 2016, têm demonstrado que a democracia tabajara não é o governo da vontade da maioria do silente povo ausente às ruas! É fato!
Encerro, pois, aqui com o epílogo de outro texto nosso, a saber:
·         Enfim, tem-se 14,33% pagadores-de-impostos, para manter Poderes, ditos republicanos, que não estão nem aí aos reclamos, preocupações, aflições, pleitos e necessidades da imensa maioria da população brasileira, onde sustentamos um “congresso nacional, que é bicameral, logo composto por duas Casas: o Senado Federal (integrado por 81 senadores, que representam as 27 unidades federativas (26 estados e o Distrito Federal) e a Câmara dos Deputados (integrada por 513 deputados federais, que “representam o povo”, mas o povo deLLes, parentela, apaniguados, filiados, comissionados e quejandos), sem falar nos ministros das “altas cortes totalmente acovardadas” e dos tribunais de fazem de conta e etc., bem como, também, aos aparelhados nos três poderes até o terceiro-escalão desses respectivos poderes; sendo mais de 100 mil comissionados só governo federal, a 70% dos cargos do Legislativo e aos comissionados do Poder Judiciário, que nem o “dr Google” sabe informar.
·         Bem por isso, temos dito: ou intervenção constitucional castrense federalizada ou desobediência generalizada. Ou não?” In http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/05/onde-sociedade-justa-fraterna-e.html
Fora disso é lograr ao “poderoso povo de araques”! Temos dito!
Abr

*JG

AS SAÍDAS PARA TORNARMOS À DEMOCRACIA TABAJARA

Joilson Gouveia*

Concordo com as assertivas sobre "única saída ou alternativa", do leitor Domingos Correia – in http://blog.tnh1.com.br/ricardomota/2017/06/29/renan-calheiros-renunciou-ao-que-nao-tinha-em-busca-do-que-perdeu/ , mas há de se convir que “apenas dois anos” é muito pouco tempo ante ao caos, hecatombe, desastres, sinistros, "tragédias e farsas" (http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/06/tragedias-e-farsas-sao-imantes-ao.html), desde a "debacle redemocratização" - e preparem-se: vem aí a "islamização" - urdida, tecida, tramada, posta e imposta pelos escamoteados, dissimulados, sonsos e falsos socialistas/comunistas/gramscistas/petistas alçados ao Poder pelo fabianismo matreiro, astuto, arguto, sagaz e cínico daquele professor de Sorbonne, que se arvora (“arribado nos altos de seus tamancos”) e se arbitra de "conselheiro da república tabajara".
A sugerida intervenção marcial castrense federalizada lato senso (ampla, geral e irrestrita) com a cerração, corte marcial, para o julgamento e cassação do parlamento bicameral, assembleias e câmaras municipais e, sobretudo, das mais "altas cortes totalmente acovardadas", para defenestração total dos apaniguados aparelhados, arraigados e incrustrados nos Três Poderes, Instituições e Órgãos republicanos tupiniquim, para assepsia total da monumental, gigantesca e descomunal máquina administrativa paquidérmica, certamente, duraria mais que os dois anos, mormente para redução* dos perdulários desperdícios, desvios, doações e “perdões”, para repatriação dos “investimentos noutras nações escarlates” com recursos do nosso Erário, Tesouro, divisas e riquezas nacionais que tão bem os conheces!
De lembrar que os vinte e um anos, de 1964 a 1985, quando “éramos felizes” (Vide mais aqui: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/11/eramos-felizes-ah-como-eramos-felizes.html e http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/06/quem-foi-que-inventou-o-brasil-ou-o.html) foi pouco, muito pouco tempo! Convenhamos! Àquela época, a intervenção seria por 180 dias, no máximo, para eleições gerais, mas os insurretos, subversivos, socialistas/comunistas e terroristas foram às armas e às estratégias belicistas de guerra de guerrilhas rural e urbana; lembras?
– De notar que os idiotas úteis da linha-de-frente de sempre (universitários, secundaristas e pelegos das centrais sindicaisCUT, CGT, UNE, UBES, MTST, MST, braço armado e paramilitar esquerdistas et caterva de esquerdALHAS e PTralhas), aliados das FARC, desde o foro de São Paulo/1990 parceiros de ORCRIM’s do jaez de PCC, CV e FDN etc. etc. - têm esbravejado, vociferado e bramido pegar em armas contra a prisão do “alma mais ONESTA dessepaiz” e “encantador de asnos”, inclusive anuído, defendido e divulgado em textos e vídeos nas redes sociais e Internet pela atual presidentA: Gleisi Hoffmann, alçada à condição de , a “amante” cônjuge do, também, RÉU: “assaltante de paupérrimos aposentados e servidores públicos” subjugados aos “empréstimos-consignados”. Ou não?
Aliás, note-se que eLLes sequer admitem, aceitam, respeitam e concordam com as regras constitucionais do Estado Democrático, Humanitário e de Direito, caso o atual presidente (ex-vice-presidente ideal, proficiente, profícuo, preferido e escolhido por duas vezes consecutivas a nove dígitos) seja defenestrado pela adrede denúncia do diligente, intrépido e paladino Janot, cujas regras exigem aceitação, processamento e julgamento pelo atual parlamento bicameral, ainda que seus sucessores legais estejam também denunciados – o que os impedem de assumir ante vacância -, para eleições indiretas em até 180 dias, no máximo – daí os iracundos esbaforidos “diretas, já!” ou “fora, Temer!”, que fora eleito por eLLes mesmos. É típico de patetas, patifes, palermas e patranheiros dos Pulhas Totalitários escarlates.
Enfim, convém jamais olvidar ao esmiuçado e didático escólio de Olavo de Carvalho quanto às democráticas republicanas “instituições criminosas”, a saber: http://www.dcomercio.com.br/categoria/opiniao/instituicoes_criminosas
Abr
*JG

URGE REDUZIR ZONAS E PARLAMENTARES NOS TRÊS NÍVEIS

Joilson Gouveia*

Eis o que havíamos dito sobre o descomunal, monstruoso e gigantesco Poder Legislativo, a saber:
·         Temos uma das maiores senão a maior Constituição Federal, com seus 250 artigos originários e Atos das Disposições Constitucionais Transitórias – ADCT – com 114 artigos em nada transitórios – ao todo 364 artigos; 140 Propostas de Emendas Constitucionais e mais outras em tramitação; 17 Códigos (civil, penal, eleitoral, comercial, processuais civis e militares e penais, de trânsito, do consumidor etc.) mais uma Consolidação de Leis Trabalhistas - CLT; 159 Leis Complementares; 13.144 leis Ordinárias (até 17/05/2017); 13 Leis-Delegadas (até 27/8/1992); 9054 decretos numerados e inumeráveis “não-numerados”; 2481 decretos-leis (até outubro de 1988); sem contar as resoluções, portarias, circulares e avisos e/ou súmulas, decisões, acórdãos e enorme jurisprudência, em nível federal. In http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/05/e-proibida-toda-publicidade-enganosa-ou.html - em breve teremos mais leis que gente, “nesse país.
Como se sabe, “o Poder Legislativo, exercido pelo Congresso Nacional, Assembléias Legislativas e Câmaras Municipais, tem como principal atribuição legislar - criar as leis, ouvindo os anseios da sociedade. Outra importante atribuição do Legislativo é a de fiscalizar os atos do Poder Executivo.(Sic.) In https://expresso-noticia.jusbrasil.com.br/noticias/132111/para-que-serve-afinal-o-poder-legislativo-no-brasil.
Na prática, em verdade e na realidade, referidos poderes legislativos sequer têm “ouvido os anseios do povo”, nem o representado tampouco “fiscalizado os atos” dos respectivos poderes executivos senão submetidos, subsumidos e subjugados a esses poderes executivos, num conluio mancomunado insólito e sórdido, como sói acontecido. Aliás, se “fiscalizam os atos do executivo”, para que servem os Tribunais de Contas?
Inclusive, havíamos discorrido sobre o tema, a saber:
·         Todos viram, ouviram, discutiram, comentaram e uns até comemoraram com alegria, satisfação, esperança e emoção a anunciada ou noticiada REDUÇÃO de um parlamentar, na esfera federal e três, na estadual, inclusive postei nossas humildes considerações, no renomado Blog do Ricardo Mota, e aqui transcrevo um texto datado de 1995, que cairia como luvas às mãos, para saneamento do desperdício do Erário com uma gama de “servidores”, que quase ou em nada beneficiam ao povo, à comunidade e à sociedade em geral com os “SEUS TRABALHOS”. Senão vejamos, a seguir. In http://gouveiacel.blogspot.com.br/2014/06/reducao-parlamentar-uma-medida-sa.html.
Ademais, também assestamos o seguinte, a saber:
·         Enfim, por quê e para que tantos parlamentares e legisladores se já temos mais de 13 mil leis, decretos, resoluções, portarias e normas que, no mais da vez, são descumpridas, desrespeitadas quando não desconhecidas da imensa maioria do povo que sequer conhece a nossa Constituição Federal, que mais se parece com uma colcha de retalhos de tanto emendada?
·         Urge uma reforma política ampla, geral e irrestrita! Temos 27 Estados, bastam 2 senadores para cada um, bem como apenas cinco deputados federais por estado, o que reduziriam gastos, despesas e desperdícios supérfluos e desnecessários ou perdulários, ao invés de 81 senadores, teríamos 54 mais 1 do DF; total: 55! Deputados federais, ao invés de 513, teríamos apenas 135, mais 2 do DF, num total de 137! Teríamos um Congresso enxuto, limpo, livre e muito mais leve, célere e eficiente de apenas 292 parlamentares!
·         Nos Estados-membros e municípios, reforma semelhante e extinção de alcaides e edis nos municípios sustentados pelos Estados e União ou não autossustentáveis, mormente aqueles de população menor que cem mil habitantes! Teríamos uma economia de magnitude salutar às finanças, erário e tesouro brasileiros; ou não?In http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/08/a-eleicao-e-selecao-dos-melhores-dentre.html.
Atentem bem ao que averbamos noutro texto, mormente quanto ao desperdício com esses “ditos representantes”, a saber:
·         Fato é que, os 311 milhões de reais saltaram para 819 milhões de reais, ou seja, numa majoração de mais de 263,6%. Onde o reequilíbrio das contas públicas?
·         Ademais, os mais de 29 milhões decontribuintes” – menos de 15% dos 210 milhões de brasileiros e brasileiras, habitantes e existentes no país, exatos 14,33% - sustentam aos nababos “parlamentares” e aos demais não-contribuintes!
·         Demais disso: “A Câmara dos Deputados e o Senado Federal tem orçamento previsto de R$ 10,2 bilhões para 2017. Isso quer dizer que o trabalho dos parlamentares brasileiros custará o equivalente a R$ 28 milhões por dia. Os valores das dotações das “Casas Legislativas” estão previstos no Projeto de Lei Orçamentária Anual. Fonte: In http://www.contasabertas.com.br/website/arquivos/13678
·         Enfim, tem-se 14,33% pagadores-de-impostos, para manter Poderes, ditos republicanos, que não estão nem aí aos reclamos, preocupações, aflições, pleitos e necessidades da imensa maioria da população brasileira, onde sustentamos um “congresso nacional, que é bicameral, logo composto por duas Casas: o Senado Federal (integrado por 81 senadores, que representam as 27 unidades federativas (26 estados e o Distrito Federal) e a Câmara dos Deputados (integrada por 513 deputados federais, que “representam o povo”, mas o povo deLLes, parentela, apaniguados, filiados, comissionados e quejandos), sem falar nos ministros das “altas cortes totalmente acovardadas” e dos tribunais de fazem de conta e etc., bem como, também, aos aparelhados nos três poderes até o terceiro-escalão desses respectivos poderes; sendo mais de 100 mil comissionados só governo federal, a 70% dos cargos do Legislativo e aos comissionados do Poder Judiciário, que nem o “dr Google” sabe informar. In http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/05/onde-sociedade-justa-fraterna-e.html
Insto aos leitores visitarem e lerem aos demais textos a seguir, a saber:
Enfim, seria salutar e de bom alvitre fixar eleições gerais não só a cada quadriênio, de vereador ao presidente da república, com votos impressos em três vias, para maior economia, segurança, transparência e publicidade dos resultados, sobretudo uma imprescindível redução de Zonas Eleitorais, para evitar a zona, balbúrdia e bagunça, e até passar a impressão de que temos uma democracia representativa e não uma argirocracia em que transformaram nosso espoliado país. Ou não? Sem descurar que “o voto nada decide. Quem decide tudo é quem conta os votos”. – Stalin.
Abr

*JG

quarta-feira, 28 de junho de 2017

COBRAS, JARARACAS E SERPENTES SÃO AS PREDADORAS MAIS MORTAIS DO PLANETA

Joilson Gouveia*

Já dissemos, repetimos, reiteramos e replicamos, em nosso modesto blog, aquilo que a toda prova, obviedade e clara evidência, os ignaros, inocentes, incautos e idiotas úteis não querem ver ou fingem não admitir, crer, ver e saber: o maior e mais grave, inescrupuloso e criminoso estelionato eleitoral de todos os tempos: as eleições gerais de 2014; na qual eLLa (“criatura do criador” – onde “fizeram o diabo para não perder”: ganharam; mas não venceram) teria obtido “os mais de 54 milhões de votos”.
Ora, em verdade, se os tivesse obtido não teria sido defenestrada, escorraçada e deposta do Poder sem os devidos reclamos e justos protestos nas ruas de seus “eleitores”. A chapa vencedora, vitoriosa e triunfante continha ambos: “a governANTA e seu mordomo!” O vice decorativo. Ou não?
De lembrar que alegavam ser, o legítimo, legal, ordinário, regular, regulamentar, regimental, jurídico, constitucional e democrático Processo de Impeachment, uma vindita de Eduardo Cunha – que recebera, admitira e aceitara o pleito postulado por dissidentes da “ORCRIM em que se tornara o PT”, fundado por Hélio Bicudo (“criei um monstro, é meu dever destruí-lo!”) e Miguel Reale Jr (ferrenho socialista Fabiano convicto) juntamente à bela, brava, brilhante e intrépida professorinha-gigante Janaína Paschoal – do qual, aquele desconsiderou o tripé acusatório, que o alcançaria e aos demais séquitos e sequazes: o PTrolão; depois de ter rejeitado e arquivado mais de 37 outros pedidos de impedimento. 
Inclusive, no senado, num urdido, tecido e tramado conluio mancomunado, fizeram-na “sofrer uma queda sem coice”- perdeu os anéis e preservou seus tentáculos, presas e garras letais!
Enfim, aceitaram o “GÓPIS”, sem que seus “eleitores” se rebelassem, nas ruas! Ou não?
Ademais, seria hilário senão fora amoral, sinistro e trágico, os “eleitores deLLa e de seu VICE preferido, proficiente, profícuo e ideal” (escolhido por duas vezes consecutivas pela asquerosa “jararaca” de nove dígitos) virarem iracundos, irascíveis e raivosos, esbravejarem, vociferarem e bramirem babando: “Fora, Temer!Típico!
Demais disso, há lembrar que “aquilae non gerunt colombas”: as águias não geram pombas! Ora, pombas! Assim também é-o com sorrateiras, rastejantes, asquerosas, silenciosas e silentes peçonhentas serpentes, mormente com os socialistas/comunistas, os quais raramente ou quase nunca admitem sê-los, mas sempre unidos pela CAUSA! São cobras engolindo cobras! “As cobras são um dos predadores mais mortais do planeta.
Mais: “As serpentes, também chamadas ofídios, cobras, mbóis, mboias e malacatifas, são répteis poiquilotérmicos sem patas, pertencentes à subordem Serpentes, ou Ophidia. São bastante próximos dos lagartos, com os quais partilham a ordem Squamata.” Fonte: Wikipédia.
Enfim, há mais de dez lustros que o império das serpentes domina nossa espoliada, aviltada e combalida nação, desde antes da “debacle redemocratização”, quando adotaram e praticaram os paulatinos estratagemas sorrateiros, sonsos, falsos, sub-reptícios, subliminares, escamoteados e dissimulados do escólio de Antonio Gramsci às pérfidas  e belicistas estratégias dos socialistas/comunistas/ leninistas/stalinistas/marxistas/troskitistas/lulopetistas/dilmistas, mormente ao implantarem o “socialismo Fabiano” preferido daquele professor de Sorbonne: “O socialismo fabiano, ou fabianismo, é um movimento político-social britânico nascido no fim do século XIX, encabeçado pela Sociedade Fabiana.” Fonte: Wikipédia.
Notem bem: a tesoura-escarlate é a mesma de sempre; pouco importa-lhes o fantoche, marionete ou “poste” que esteja no Poder, contanto que corte e que seja um dos integrantes dos 35 “partidos-políticos” de bandeiras, matizes e ideologias esquerdistas, como sói acontecido, bem por isso nossas sazonais e temporárias “eleições” nessas urnas digitais eletrônicas da venezuelana Smartmatic (máquinas inteligentes, de George Soros) rejeitadas em mais de cinquenta países, para nos dar a todos uma sensação aparente de que vivemos numa Democracia e não numa argirocracia de serpentes escarlates.
Abr
*JG
P.S.: Preparem-se: em breve, a “islamização do Brasil!” :O 


segunda-feira, 26 de junho de 2017

ABERRATIO FINIS LEGIS ET EX VI LEGIS - ARGIROCRACIA ESCARLATE

Joilson Gouveia*

I – Proêmio
Repelindo, reprochando e objurgando ao vídeo de um escarlate de carteirinha, que sobrevive com “recursos partidários”, onde um outro comunapetralhista compartilhou-o numa rede social ao marcar-me na sua postagem, no qual um ex-integrante, âncora, apresentador, repórter e jornalista da emissora que é achacada, aviltada e achincalhada por ele, onde postei o seguinte, a saber:
·      Ademais, esse mesmo PHA - em sua "conversa fiada" - esqueceu de dizer que fez parte da indigitada rede e, portanto, é partícipe ou cúmplice do que de mau ou de bom ela tenha feito; esqueceu de dizer que é financiado pelo "partido" (leia-se ORCRIM) do seu guru: "alma mais ONESTA dessepaiz"; esqueceu de dizer que a INVEJA mata aos poucos! Ah! esqueceu de dizer que tudo isso é um jogo-de-cena pra manter a mesma tesoura-escarlate, que avilta, espolia e solapa ao nosso combalido Erário, adrede desviado, doado e emprestado às nações escarlates!” - É que “o socialismo só funciona com a grana brasileira” – Olavo de Carvalho.
Inclusive, já dissemos, repetimos e reiteramos que os socialistas/comunistas são semeadores de todos os males, malefícios, desastres, tragédias e farsas, a saber:
Noutra postagem de um vetusto mosqueteiro desde os tempos acadêmicos universitários postei o seguinte, em resposta à indagação/insinuação/instigação: a saber:
·     Não sei a quem poderia legitimamente interessar a queda de um presidente com uma linha sucessória que ficará sob ataque e também cairá...”
·      Postei: Interessa (como sempre interessou) aos que adoram ao "quanto pior, melhor" ou à mais nova versão: "pior do que está não fica"; da afiadíssima tesoura-escarlate, daí o anelado e pugnado "Fora, Temer!"; justamente por aqueles que o puseram lá! Afinal, era o VICE ideal escolhido a nove dígitos por duas vezes consecutivas; ou não? http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/06/a-res-publica-tabajara-ou-tupiniquim.html
Numa outra, sobre a decisão de uma juíza que “libertou” a um réu condenado a mais de 120 anos de reclusão, posto em prisão-domiciliar, por debilidade cardíaca e, por força de lei, postei o seguinte, a saber:
·       “Mestre, com a devida e excelsa venia, mas esse "invejado e ressentido" liberto libertino cumpriu quanto de sua "pena"? O entendimento digno que é dispensado aos meliantes de sempre ter uma segunda chance jamais é ofertado e garantido ou prestado às vítimas deste e doutros tantos meliantes; ou não? Um Estado que mais tutela, protege e zela que reprime, pune ou castiga seus criminosos, delinquentes e meliantes desdenha da dignidade e da liberdade de suas vítimas e de seus familiares; ou não? É mais que certo, correto e até "justo" que a juíza cumpra à lei e que seja assim, mas essa lei há de ser mudada para inibir, evitar e coibir que outros tantos crimes se nos antolhem impunes! Sem castigo, sanção e punição não haverá solução! http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/10/sem-certeza-do-castigo-nao-ha-pena-que.html
IIDireito versus Justiça
O introito supra é-o para destacar dois brocardos jurídicos ou axiomas fundamentais que deveriam nortear não somente ao nosso Direito senão, principalmente, à nossa “Justiça”, quais sejam: “Aberratio finis legis” (afastar ou desviar da finalidade da lei) “Ex vi legis” (por força de lei), inclusive, convém relembrar de que sempre devemos ter inalienável, intransigente e impostergável “o dever de lutar pelo Direito, mas, quando houver conflito entre o Direito e a Justiça, lutemos por esta”; claro! Entrementes, ambos hão de estribar-se na força da lei e, sobretudo, na sua estrita finalidade!
Ao ensejo, é mister trazer à colação o inolvidável escólio do mestre Pontes de Miranda, a saber:
·     Diz-se que (interpretar) é, em grande parte, estender a regra jurídica a fatos não previstos por ela, com o que se ultrapassa o conceito técnico de analogia. Estaria tal missão compreendida no poder do juiz e, pois, do intérprete. Diz-se mais: pode o juiz, pois que deve proferir a sententia quae gerendae aptior est, encher as lacunas, ainda se falta a regra jurídica que se pudesse estender, pela analogia, ou por outro processo interpretativo, aos fatos não previstos. Ainda mais: se a regra jurídica não é acertada, há de buscar-se contra legem, a regra jurídica acertada. Nota-se em tudo isso que se pretendem contrapor a investigação do sistema jurídico, em tôda sua riqueza, dogmática e histórica, e a letra da lei. Exatamente o que se há de procurar é a conciliação das três, no que é possível; portanto, o sentido – dogmática e històricamente – mais adequado às relações humanas, sem se dar ensejo ao arbítrio do juiz.” (Sic.)
Todavia, a nação e o mundo assistiram ao vivo, direto e em cores, mormente nas tais “altas cortes totalmente acovardadas”, esbravejarem estapafúrdias sententias contra legem ou desviadas dos fins e finalidades legais ou ao arrepio da força da lei, num descalabro e inescrupuloso senão criminoso arbítrio arbitrário sem redundâncias e desprovidos de amolgáveis analogias até mesmo no direito comparado, como bem destacado abaixo, a saber:
·      A retórica de Gilmar Mendes de que determinou a abertura do processo para investigar se havia abuso econômico, pois os fatos descobertos na prestação de contas eram graves e que era necessário saber como aconteciam, mas deveriam ser examinados em processo próprio ficou sem sentido quando, no processo próprio, ele disse: é, os fatos são graves, mas a justiça eleitoral não pode cassar o mandato do beneficiário do abuso, que está provado na opinião de três ministros. Outro argumento que desafia a inteligência de todos é o de que deveriam retroagir a 2006 e cassar os mandatos de todos os ex-presidentes e, por consequência, as nomeações dos ministros do STF, pois viola não só as normas constitucionais, mas também a realidade, já que não se pode cassar mandato exaurido; seria o mesmo que matar o morto! Em se falando em Morto, parece que vimos hoje o velório de Justiça Eleitoral, já que Aime e Aije não têm finalidade e tudo isso que assistimos durante 4 dias foi um grande faz de conta. Como dizia o grande Ruy Barbosa, quando a política entra pela porta de um tribunal a justiça sai pela janela.” (Alessandro Samartin).
Numa referência ao que fora averbado por Guizot: “Quando a política penetra no recinto dos Tribunais, a Justiça se retira por alguma porta.” - François Pierre Guillaume Guizot foi um político francês nascido aos 4 de outubro de 1787, em Nimes, cidade ao sul da França. In http://territoriojuridico.com.br/2016/03/quando-politica-penetra-no-recinto-dos-tribunais-justica-se-retira-por-alguma-porta-francois-guizot/
E o disse mais o autor Alessandro Samartin, acima citado:
·     O problema não foi a decisão tomada hoje, mas os fundamentos utilizados para tomá-la. Ou o pau bate no chico e no Francisco ou não tem sentido de punir nenhum dos dois, quando um julgamento é contrário ao que se imagina, mas tem fundamento jurídico plausível, curva-se a ele, mas o que aconteceu hoje é o mesmo que depois de todas essas provas contra o barbudo a justiça dizer: é o tríplex não está no nome do barbudo, logo não é dele!? Entende?!”
·   (...) pois é, exatamente por isso que me causa "surpresa" esse tipo de julgamento. Querem rasgar a lei, digam expressamente: vamos rasgar a lei porque o que vale é a politicagem! É imoral, mas é honesto! Agora, fazer de pose de paladino da moralidade e estuprar a moral, não dá!”
Aditaria: estupraram à moral e, literalmente, rasgaram a lei, espezinharam ao due process of law e, sobretudo, sepultaram todas as provas coligidas!
· Mas, obtempera Rui Barbosa:
·         “Medo, venalidade, paixão partidária, respeito pessoal, subserviência, espírito conservador, interpretação restritiva, razão de estado, interesse supremo, como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se. Mas não há salvação para o juiz cobarde.” (Sic.)
III – À guisa conclusiva
Enfim, não é a esse Estado Democrático, Humanitário e de Direito que os cidadãos e cidadãs honestos, honrados, trabalhadores dignos e decentes dessa Nação desejam, mormente com suas Instituições republicanasfuncionando”, sob o pretexto sub-reptício, subliminar e dissimulado de que vivemos numa Democracia quando, na prática, realidade e verdade, não passa de uma argirocracia escarlate! Ou não?
Já dizia Stanislaw Ponte Preta, sabiamente: “Ou restaure-se a moralidade ou locupletemo-nos todos!In http://www.conjur.com.br/2016-abr-19/contas-vista-restaure-moralidade-ou-locupletemo-todos
Abr
*JG

P.S.: Que lutemos sempre pela Justiça, mas “se não há justiça para o povo, que não haja paz para o governo” – Emiliano Zapata.