sábado, 29 de abril de 2017

SOCIALISTAS SÃO MEROS ARTÍFICES DO MAL

Joilson Gouveia*

Meu preclaro, predileto, proficiente e profícuo literata caetés e tupiniquim “Peninha”, em seu blog http://blog.tnh1.com.br/ricardomota/2017/04/28/o-que-a-bancada-de-alagoas-aprendeu-com-as-manifestacoes-desta-sexta-feira/ traz-nos alguns questionamentos e alertas aos nossos “representantes parlamentares” – que mais representam a si mesmos, como todos sabemos e já replicamos – mas tentaremos desconcordar de alguns questionados pontos ainda que anua com outros abaixo transcritos, a saber:
· A greve geral desta sexta-feira não parou o Brasil, mas foi um passo fundamental para que os congressistas sintam a preocupação e a repulsa da maioria dos brasileiros – os que dependem dos salários e da Previdência social para viver com alguma dignidade – aos projetos de reforma da dupla Temer-Meirelles.” (Sic.) – destaquei.
Desconcordando, relembre-se que, nem foi tampouco o é “a maioria” do povo e os indigitados projetos remontam ao fabianismo anterior às “gestões do criador e de sua criatura”, inclusive defendida por eLLe, e contida na mesma PEC/241, de Joaquim Levy e Nelson Barbosa = Henrique Meirelles – vide nosso blog in http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/04/o-fiasco-de-uma-debacle-greve-geral-de.html -, o qual fizera parte dos governos desde então.
·Os números sobre a Previdência, fartamente divulgados – sem contraditórios – pelo governo na chamada grande imprensa precisam ser considerados, sim, mas com reservas.
· Por que, de repente, um país que gasta 47% do orçamento da União com pagamento da dívida pública, descobriu que são os assalariados e aposentados os culpados pela crise? E se todos precisam fazer um esforço, dar ainda mais – mesmo que não tenha -, como explicar os recordes de lucros das instituições financeiras?” (Sic.) – sem grifos no original.
Em verdade, de fato e na prática, desconfio que haja “crises” senão pretextos aos seus nefastos, nefandos e funestos subterfúgios de intentos ardilosos, escamoteados e dissimulados de “investirem, doarem e desviarem” mais grana brasileira aos países de bandeiras escarlates e demais tiranias mundo afora: “o socialismo só funciona com grana brasileira - Olavo de Carvalho” – ver mais aqui, a saber:
Inclusive, cite-se não só os investimentos noutros países de matizes escarlates, sobretudo os generosos perdões de dívidas ou doações e novos empréstimos aos caloteiros de sempre, bem como ardiloso repasse à paradisíaca ilhota cubana, escabrosa terceirização da saúde brasileira pelo tal “programa MAUS médicos, MÁ saúde”: a) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/04/dias-melhores-virao-hao-de-vir-sim-bom.html e b) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/07/um-programa-que-e-de-tirar-o-chapeu-mas.html, dentre outros mais no Blog.
· As mobilizações que, repito, não pararam o país, servirão de alerta para os as bancadas federais – inclusive aqui de Alagoas, com nove deputados e três senadores. Eles não podem simplesmente seguir a vontade do governo que, num momento de revelação do sobrenatural, descobriu quem são os responsáveis pelo buraco nas contas públicas.
· O que aconteceu, e deve acontecer mais ainda, vai além da visão da CUT, Força Sindical, partidos ditos à esquerda. É uma questão de interesse nacional, da maioria do povo brasileiro. O maniqueísmo cega, e cegos ficamos a ponto de não enxergar o Brasil real. A oitava economia do mundo, ocupando – segundo a ONU – a 79º posição no ranking do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano): um dos dez países socialmente mais desiguais do planeta.
· Culpa de quem, cara pálida?(Sic.) – sem destaques no original.
Sinceramente: tens certeza de que ignora, duvidas ou não sabes mesmo de quem é a culpa? A resposta é muito simples: a redemocratização fracassou e deu-se o vaticinado por Ernesto Geisel e João Batista de Oliveira Figueiredo, confessado, inclusive, por Emílio (Odebrecht) – ver no meu Blog: a) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/10/redemocratizacao-fracassada-direita.html e b) http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/11/eramos-felizes-ah-como-eramos-felizes.html.
·Temer não teme sua impopularidade, que só faz crescer, mas é de se perguntar se os nossos deputados federais e senadores também estão se lixando para os eleitores alagoanos.
·E se houve algum exagero, barbarismo, nas manifestações desta sexta-feira, será que o nosso modelo de Civilização é Marcelo Odebrecht?”
De lembrar que nem o atual, que fora o VICEideal, perfeito, preferido, proficiente e profícuo (escolhido a nove dedos, por duas vezes consecutivas), nem a criatura se importam com popularidade – só as celebridades dão valor a isso: aliás, aquelas mesmas mantidas pela Lei Rouanet, dentre outros intelectuais sinistros.
Ah! Para encerrar, trago a colação alguns excertos de Olavo de Carvalho sobre um paralelo que ele faz entre as matanças perpetradas pela PETAPeople for the Ethic Treatment of Animals, que teria sacrificado 14.400 animais – vide in www.petakillsanimals.com - com as atrocidades havidas no Camboja, no massacre de três milhões de civis mortos, mais de três vezes o total de vítimas da guerra (Leia-se a história completa em Triumph Forsaken. The Vietnam War, 1954-1965, de Mark Moyar – Cambridge University Press, 2006.
Diz-nos o mestre Olavo, a saber:
·         O paralelo entre a matança de animais e a de seres humanos não é fortuito: em ambos os casos um discurso atraente, condensado em slogans de grande impacto repetidos ad nauseam pela mídia, recobriu com o manto do prestígio moral uma gangue de sociopatas assassinos, criminalizando os que se opunham a seus panos macabros e transformando cidadãos inocentes em cúmplices daquilo que existe de pior no mundo. O fundo ideológico, nas duas ocasiões, é o mesmo: a inversão revolucionária dos sentimentos morais, a imposição do mal em nome do bem.
·         Educado nos princípios do relativismo, que entrou na moda quando eu era adolescente (embora os adolescentes de hoje acreditem ser os primeiros a tomar conhecimento dele), demorei muito para descobrir por experiência – e tive enorme dificuldade de admitir – que no mundo há pessoas muito boas e pessoas muito más, separadas por abismo irredutível. Hoje em dia, quem quer que proclame em voz alta a existência dessa diferença, que salta aos olhos na vida diária, é imediatamente acusado de ‘maniqueísmo’.
·         Mas isso não senão uma inversão a mais, pois o maniqueísmo, historicamente, consiste em equalizar o bem e o mal como princípio, neutralizando a diferença de valor que os separa. E eu não sou covarde o bastante para me abster de dizer as coisas como as vejo, só por medo de uma rotulação pejorativa cuja falsidade já se revela na própria semântica do termo.” (Sic.) – se grifos no original. – Vide p. 148/149, em “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”.
Enfim, sobre o maniqueísmo assestado, faço de suas as minhas palavras, pois somente os bobos sinceros não enxergam ou não sabem ou fingem nem saber que todo o mal que há provém desses desgovernos escarlates, desde a debacle redemocratização, quando éramos felizes, e como fomos felizes!
A barbárie é uma constância típica e própria dos regimes socialistas!
Onde o socialismo prosperou (ou prospera), meu caro literata?
– Ah! Não vale citar os livros do MEC, da “pátria educadora”, combinado?
Temos dito, repetido, reiterado e replicado!
Abr
*JG

O FIASCO DE UMA DEBACLE GREVE-GERAL DE BOBOS SINCEROS

Joilson Gouveia*

Após mais de catorze horas de cobertura televisa, de uma das mais renomadas “news”, sobre a convocada, anunciada e apelada “Greve-Geral”, promovida, bancada, custeada, imposta e intentada por “poderosas centrais sindicais, sindicatos e partidos-políticos” tidos e ditos progressistas, engrossadas por “trabalhadores” daqueles mesmos movimentos sociais de sempre, que continuam SEM (terras, trabalho e vergonha nas fuças), somados de um contingente de “índios de araques”, que pretendiam PARAR O BRASIL, não passou de mais uma desbragada, oprobriosa, inescrupulosa e criminosa depredação incendiária e escabroso esbulhos aos direitos dos demais cidadãos e cidadãs brasileiros. Típico! Um fiasco! Afinal, protestam contra quem e contra o quê? Acaso os governos andam de ônibus, metrôs e trens?
Onde a lógica ou a mais mínima coerência, fundamento e razão: “saem protestando CONTRA TEMER” e prejudicam ao cidadão, à cidadã e aos trabalhadores cerceando seus direitos de ir, estar, ficar, permanecer e vir? Além de incendiarem transportes coletivos, vilipendiarem aos direitos dos demais cidadãos, depredarem próprios públicos e patrimônios privados e agredirem às forças públicas policiais e aos que não aderiram à fajuta “greve-geral”!
Acaso, só por acaso, alguém chegou a ver uma única bandeira brasileira ou suas cores nos ditos “manifestos”?
Os baderneiros, vândalos, vagabundos e depredadores ou agressores chamados simpática, afetiva, carinhosa ou generosamente de “manifestantes” – nada contra aos seus direitos de livre reunião, manifestação e expressão de seus “protestos”, mas quais os porquês?
Dizer que o atual governo é ilegítimo, farsante, traidor, golpista e quejandos não cola mais, haja vista que sucedeu à defenestrada, condenada e RÉ, que perdeu o anel e manteve seus dedos, numa queda sem coice tecida, tramada e urdida num conluio matreiro dentre os próprios integrantes daquela coalizão vitoriosa naquele criminoso estelionato eleitoral de 2014, “onde fizeram o diabo para não perder as eleições”: não perderam; mas não venceram!
Inclusive, já reiteramos, replicamos e desafiamos: onde os mais de 54 milhões de eleitores deLLa e do seu preferido VICE, ora odiado, xingado e depreciado, que fora escolhido a nove dedos e por duas vezes consecutivas?
Estou a cavalheiro para tecer minhas diatribes, discordâncias e objurgações, reproches, repúdios ou abominações aos “inteligentes, cultos, politizados e civilizados cidadãos manifestantes”, mormente quanto às perniciosas, maléficas e temerárias reformas previdenciárias desde o socialismo-fabiano anterior de FHC, o outro lado da moeda esquerdista escarlate ou a outra lâmina da mesma tesoura afiadíssima – vejam em meu blog e noutros sites, a saber:
Destaque-se parte do último acima citado, a saber:
·         Com efeito, pode-se inferir que o reajuste fiscal proposto por eLLa, na PEC/241, é aceitável, correto e justo, na PEC/55 é a morte e o fim-do-mundo. A governantA, gerentA e presidentA incompentA, que pagou mais de 500 bilhões de reais aos ricaços da “zelite” poderia fazer o reajuste-fiscal de Joaquim Levir e Nelson Barbosa, inclusive propunham até a recriação da CPMF, à qual eram CONTRA antes de alçarem ao Poder! – E ainda não descartada por Henrique Meirelles.
·         Uns sábios escarlates admitem-no (REAJUSTE) mediante PLC – Projeto de Lei Complementar – ou por MP’s (Medidas Provisórias) como intentadas e impostas por eLLa, mas por PEC ou por Temer, jamais! (?) Qual a lógica? Olvidam que ambos são iguais usuários da Tesoura Escarlate? Aliás, Temer fora escolhido por nove dedos por duas vezes seguidas; lembram?
·         Para mim, não há crise nem déficit tampouco rombo, na Previdência, como já faláramos alhures: https://jus.com.br/artigos/1935/ataque-ao-monstro-o-servidor-publico-de-novo-e-o-vilao-da-historia, e aqui: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/03/reforma-da-previdencia-nada-prudente-e.html; tudo isso nada mais é que o emprego prático do método “problema-reação-solução, acima citado. Ou não?
·         Caso contrário, ou são sempre CONTRA a tudo que é bom, profícuo e melhor para o Brasil e os brasileiros e brasileiras, como já fora dito in http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/03/ser-contra-ou-contrario-era-e-e-sempre.html ou mais uma vez urge recorrer ao inolvidável escólio de Nelson Rodrigues, a saber: “Não há ninguém mais bobo que um socialista sincero. Ele não sabe nada. Apenas ‘aceita’ o que meia dúzia de imbecis lhe dão para dizer”. E o pior: dizem. É fato!
·         Ou ainda, tem-se a inexorável ilação de Olavo de Carvalho sobre a idiotice, a saber:
·         Idiotice*– “Em grego, ‘idios’ quer dizer ‘o mesmo”. Idiotes, de onde veio o nosso termo ‘idiota’,é o sujeito que nada enxerga além dele mesmo, que julga tudo pela sua própria pequenez.” Loco citato, In Olavo de Carvalho, na obra “O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota” – ver mais: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/03/hoje-e-reflexo-do-ontem-como-amanha.html
·         Enfim, Albert Einstein já vaticinara: “Duas coisas são infinitas: o universo e a burrice humana. Mas a respeito do universo ainda tenho dúvidas”. Bem por isso não é à toa que o “encantador-de-burros” ainda tem tantos séquitos, sequazes e alimárias na súcia matula escarlate, mormente no valhacouto denominado Partido dos Trabalhadores, hoje reconhecida pela grande mídia como uma ORCRIM, consoante atestado, provado e corroborado pela intrépida, diligente e operante FORÇA-TAREFA da LAVA-JATO.
Aliás, segundo noticiado na referida “News”, a pífia “greve-geral” ter-se-ia dado em mais de 254 cidades dos mais de 5.690 municípios do Brasil, a despeito dos mais de 17.700 “sindicatos” existentes no país. Ou seja, não alcançou nem a 10% das cidades brasileiras, porém nenhum dos ditos “manifestantes” vociferaram, bradaram ou bramiram “em defesa dos mais de 14,2 milhões de trabalhadores desempregados”, que perderam seus empregos e trabalhos nesses últimos três anos de (des)governos escarlates(?).
Ademais, os cretinos, canalhas, patifes, bobos sinceros ou inocentes úteis da linha-de-frente, mascarados ou não, universitários ou secundaristas, ignoram, desconhecem ou sabem e olvidam de má-fé de que seu encantador-mor defendeu (e defende) às indigitadas, guerreadas e repudiadas reformas trabalhista e da previdência, a saber:
Recordemos o dito e defendido por eLLe, a saber:
·         "Acho que a Previdência, de vez em quando, deve ser reformada. Na medida que é provado cientificamente a nossa longevidade, a gente não pode ficar com a mesma lei feita há cinquenta anos", disse Lula, durante um encontro em que defendeu a Reforma da Previdência, que era uma das agendas de governo da presidente Dilma.
·         O vídeo em que Lula defende a reforma foi divulgado pelo jornalista Augusto Nunes, da revista Veja. Segundo o jornalista, Lula falou na quarta-feira para uma plateia adestrada e berrou posições contrárias do que dizia há menos de dois anos sobre o tema. De acordo com Nunes, o petista mentiu nas duas ocasiões.” (Sic.) http://noticias.r7.com/brasil/video-revela-contradicoes-de-lula-sobre-a-reforma-da-previdencia-17032017
Enfim, o fiasco da tíbia paralização pretendia pela debacle, pífia, ignominiosa, inescrupulosa e criminosa “greve-geral” deixa claro, patente e provado a toda evidência de que o cidadão e cidadã brasileiros, honestos, honrados, dignos e decentes não mais se deixam enganar pelo engodo, logro mendaz, ardil falaz e escamoteado, dissimulado, astuto e mordaz do encantador-de-burros que somente convence aos bobos sinceros, cretinos, patifes e idiotas!
Abr

*JG

quinta-feira, 27 de abril de 2017

A TESOURA-ESCARLATE DE SEMPRE DESDE SEMPRE

Joilson Gouveia*

Há, pois, pelo que se denota de intrépidos defensores de tutelados sindicatos sindicalizados estrábicos, caolhos, míopes e vesgos ou mesmo cegos de nascença, haja vista que não veem aos mais de treze milhões de desempregados (aqueles que perderam seus empregos, trabalhos e fontes de rendas, nesses últimos tempos escarlates, mormente no mais desbragado, oprobrioso, inescrupuloso senão criminoso desgoverno da criminosa "coração-valentA" – uma inocentA desde estaudantA, para muitos tantos dos militontos sindicalizados -, sem falar noutros tantos milhões de jovens em busca do seu primeiro emprego) a despeito da septuagenária CLT e operosa justiça laborativa e dos mais de 17.770 sindicatos existentes no Brasil, mantidos por óbolos denominados de contribuição sindical-obrigatória quando é livre a associação sindical ou filiação político-partidária e nas mais diversas associações, a saber:
  • ·    XVII - é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar;
  • ·   XVIII - a criação de associações e, na forma da lei, a de cooperativas independem de autorização, sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento;
  • ·  XIX - as associações só poderão ser compulsoriamente dissolvidas ou ter suas atividades suspensas por decisão judicial, exigindo-se, no primeiro caso, o trânsito em julgado;
  • ·   XX - ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado;
  • ·   XXI - as entidades associativas, quando expressamente autorizadas, têm legitimidade para representar seus filiados judicial ou extrajudicialmente;

É, pois, livre a associação, mas sua contribuição-sindical é obrigatória, porém livre de controle ou fiscalização senão pelas “assembleias” dominados pelos “gestores sindicais”; quem sabe o montante de verbas e recursos arrecadados senão os próprios dirigentes dessas centrais sindicais. Leia mais aqui, a saber:
A proposta de greve-geral às reformas trabalhistas, de um “governo ilegítimo” (como dizem esses “inteligentes” - não por ter sucedido àquela defenestrada com “uma queda, sem coice”, que perdeu o anel e preservou os dedos, mas em face do maior ESTELIONATO ELEITORAL de todos os tempos, “eleitos pelos mesmos que propõem o movimento paredista-geral”), cujas “reformas” foram urdidas, tecidas, tramadas, defendidas e aneladas pelo “criador” e sua “criatura”. A atual PEC/51 é cópia autêntica da PEC/241. Ou não?
Há diferenças? Nenhuma! E já replicamos, repetimos e reiteramos! Esse Henrique Meirelles é o mesmo de antanho, desde FHC, que são símiles réplicas de Joaquim Levy e Nelson Barbosa, que são anversos e versos da mesma moedinha alcunhada nas forjas escarlates nesses últimos seis lustros: FHC&LULA/DiLLma/Temer, todos dissimulados, cínicos, hipócritas, patifes, patranhas comunistas-socialistas, na surrada estratégia da tesoura-escarlate enganadora, espoliadora, achacadora e cortadora desde sempre.
Essas reformas têm por desiderato angariar, arrecadar, extorquir e expropriar ainda mais ao Erário e majorar os extorsivos impostos dos pagadores-de-impostos chamados de contribuintes rigorosamente fiscalizados, policiados e reprimidos pelo bravo, voraz e feroz “leão” da diligente Receita Federal, que nunca viu nem vê os multimilionários das “zelites” envolvidas na Operação Lava-Jato, que esse mesmo congresso nacional busca barrar, dificultar extinguir para salvar a todos os mais de “trezentos picaretas” e continuar sustentando ao nefasto, nefando e funesto socialismo que é mantido por menos de um terço dos mais de 210 milhões de brasileiros e de brasileiras, exatos 28, 3 milhões de pagadores-de-impostos – ver mais aqui, a saber; http://gouveiacel.blogspot.com.br/2017/03/intervencao-marcial-federal-ou.html.
Abr

*JG

PODEROSO POVO CRETINO, IMBECILIZADO, IDIOTIZADO OU LOBOTOMIZADO

Joilson Gouveia*

Há, pois, pelo que se denota de intrépidos defensores de tutelados sindicatos sindicalizados estrábicos, caolhos, míopes e vesgos ou mesmo cegos de nascença, haja vista que não veem aos mais de treze milhões de desempregados (aqueles que perderam seus empregos, trabalhos e fontes de rendas, nesses últimos tempos escarlates, mormente no mais desbragado, oprobrioso, inescrupuloso senão criminoso desgoverno da criminosa "coração-valentA" – uma inocentA desde estaudantA, para muitos tantos dos militontos sindicalizados -, sem falar noutros tantos milhões de jovens em busca do seu primeiro emprego) a despeito da septuagenária CLT e operosa justiça laborativa e os mais de 17.770 sindicatos existentes no Brasil.
A proposta de greve-geral às reformas trabalhistas, de um “governo ilegítimo” (como dizem esses “inteligentes” - não por ter sucedido àquela defenestrada com “uma queda, sem coice”, que perdeu o anel e preservou os dedos, mas em face do maior ESTELIONATO ELEITORAL de todos os tempos, “eleitos pelos mesmos que propõe o movimento paredista), cujas “reformas” foram urdidas, tecidas, tramadas, defendidas e aneladas pelo “criador” e sua “criatura”. A atual PEC/55 é cópia autêntica da PEC/241. Ou não?
Leiam mais aqui, a saber:
AS CENTRAIS SINDICAIS E SINDICATOS DEFENDEM AOS TRABALHADORES?
Joilson Gouveia*
A secretária das relações de trabalho da CUT – Central Única dos “trabalhadores” – assim entre aspas e em minúsculo por não serem trabalhadores nem defenderem aos verdadeiros trabalhadores – Graça Costa, disse que é contra as reformas trabalhistas propostas pelo atual governo, por entender que “a medida enfraquece a organização dos trabalhadores e tira poder de barganha das classes trabalhistas” (Sic.) In http://reporteralagoas.com.br/novo/reforma-trabalhista-de-temer-quer-alterar-clt-e-ampliar-terceirizacao/
Há mesmo essa tal “organização dos trabalhadores”?
Onde estiveram, nesses últimos catorze anos, o que fizeram ou o que faziam diante dessa imensa legião miserável de mais de 11,8 milhões de desempregados, que foram demitidos somente nesses últimos dois anos?
Em verdade, essa tal “organização dos trabalhadores” que mais defende ao partido (que se dizia dos trabalhadores) que aos seus próprios trabalhadores sindicalizados ou “organizados”; ou não? Os fatos não deixam dúvidas!
Outra coisa: perder o “poder de barganha” das supraditas classes, como aduzido pela citada secretária Graça Costa, é, no mínimo, elementar, básica e por baixo, desconhecer ao teor e ao signo e ao significado do vocábulo BARGANHA e/ou do verbo “barganhar”, senão o vejamos, a saber:
•              bar•ga•nha (derivação regressiva de barganhar) substantivo feminino
•              Troca de uma coisa por outra.
•              Negócio conseguido com meios ilícitos ouenganosos.- TRAPAÇAS
•              Coisa comprada a preço baixo. = PECHINCHA
•              Sinônimo Geral: BERGANHA
•          "barganha", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/barganha [consultado em 09-09-2016].
Não há, pois, nem jamais poderá haver “barganha” alguma daquilo que a própria lei já estabelece para e numa relação trabalhista ou contratual, porquanto pura, justa e simplesmente já prevista na própria LEI, as quais devem ser fiscalizadas pelo Ministério Público Trabalhista e nunca por “barganhas” desses tais “sindicatos”, que são mantidos por coarctas, compulsórias e obrigatórias ou inadequadas, impróprias e injustas “contribuições sindicais”, sem prestações de contas transparentes, no mais da vez, que mais servem ao enriquecimento ilícito de certas diretorias, diretores e presidentes; ou não?
Quem controla as contas desses mais de 15.500 sindicatos existentes no Brasil e das ditas incomensuráveis ONG’s?
A barganha, por sua vez e como bem definido, conceituado e explicitado acima, somente poderá existir em negócios escusos, anômalos, espúrios, ardilosos ou suspeitos e transações por espertos mercadejados cambistas ou traficantes ilícitos e de suas negociatas ou das ardilosas e velhacas raposas ou atravessadores em suas empreitadas ilícitas; ou não?
O que se pode dizer dos mais de 11,8 milhões de trabalhadores desempregados? Ou seja, só os que perderam seus empregos e seus trabalhos de carteira assinada, e apenas nesses últimos dois anos?
E ainda temos mais de 5 milhões de jovens em busca de seu primeiro emprego ou trabalho ou renda!
Quem os defendeu? Quais sindicatos ou centrais saíram em suas defesas?
Ah! Sem falar que mais de 11, 5 mil trabalhadores da Petrobrás aderiram ao PIDV - Programa de Incentivo à Demissão Voluntária e outros mais de 5,9 mil já forma demitidos!
Os "trabalhadores" defendidos pelas esquerdas são os aparelhados, apaniguados, comissionados, parentes e parentelas deLLe, deLLa e da alta cúpula; ou não?
Olhem como estão pobres os filhos deLLe, deLLa, de Mercadante, de Palloci, Genoíno, Dirceu, Vaccari e etc.
O Brasil necessita de uma breve urgente e urgentíssima MOROlização e não somente nos Poderes Públicos!
No mais, fico com a sabedoria popular retratada num dos mais adequados memes recentes: "Pior que um governo corruPTo é o cidadão que o defende" e "Não é honesto, nem decente um cidadão honrado e de bem defender ou votar no 'PT', por ser apologia ao crime"! Ou não?
Ah! A propósito quando e quantos, dos condenados do tal "partido", foram expulsos, como vociferado pelo seu presidente Rui Falcão?
Enfim, as centrais sindicais e sindicatos dos trabalhadores existem mais para DEFESA deLLe e do próprio “partido” que a dos trabalhadores. É fato!
Abr
*JG
Enfim, temos dito a saída e solução está numa intervenção marcial castrense federalizada ou na iminente desobediência civil, haja vista que nenhuma greve-geral mudará ao atual congresso nacional, que continua enganado aos incautos, inocentes, pueris e ingênuos ignaros agnósticos idiotizados lobotomizados pela mesma tesoura escarlate desde a debacle redemocratização. Ou não?
Abr

*JG

AS “LINHAS TORTAS” VERSUS “A ESCOLHA FUNDAMENTAL”

Joilson Gouveia*

Nada obstante o adágio popular de que “Deus escreve certo por linhas-tortas”, muito conhecido por essas plagas nordestinas, eis que traz-nos (sempre aos domingos) o nosso predileto literata caetés e tupiniquim “Peninha”, em seu renomado Blog, alinhava “linhas” percucientes, pertinentes, contundentes e inteligentes crônicas de um esmerado saber ou própria sabedoria mais que culta senão filosófica que inculca à maioria de seus leitores e comentaristas quando não se lhes impõem suas verves ideológicas coletivistas-igualitárias, no mais da vez ou quase sempre, como o fez (e o faz) em suas muito bem traçadas, tecidas, narradas e delineadas LINHAS TORTAS in http://blog.tnh1.com.br/ricardomota/2017/04/23/em-linhas-tortas/, às quais merecem, em face da dialética, senão um contraponto ao menos um comparado, equilibrado e razoável balanço aos excertos de um outro texto a seguir colacionado e intitulado de “A Escolha Fundamental*, de Olavo de Carvalho, a saber:
·         “(...) Para as modernas ideologias revolucionárias, a vida individual não tem nenhum sentido e só adquire algum na medida da sua participação na luta pela sociedade futura. É a consecução desse objetivo que servirá de medida para a avaliação dos atos individuais. Atingida a meta, tudo o que tenha concorrido para ‘apressá-la’, mesmo o pecado, a fraude, o crime e o genocídio, será resgatado na unidade do sentido final e portanto considerado bom. O que contribua para ‘atrasá-la’ será mau. O mal e o bem resumem-se, em última análise, no ‘reacionário’ e no progressista’. No entanto, como não há prazo predeterminado para o desenlace salvador, o ‘apressar’ e o ‘atrasar’ têm sentidos ambíguos, que alternam conforme as contradições do movimento histórico. Um déspota, um tirano, o suprassumo do reacionarismo para seus contemporâneos, pode se tornar retroativamente progressista caso se descubra que contribuiu, malgré lui, para acelerar um processo que desconhecia por completo. Numa outra fase, o julgamento pode inverter-se, conforme as novas interpretações de ‘atraso’ e ‘aceleração’ pertinentes no momento. Luís XIV, Ivan, ‘o terrível’, Robespierre ou Stalin já passaram várias vezes do céu para o inferno e vice-versa.”
Olavo de Carvalho, diz-nos ainda o seguinte:
·         “Para o cristianismo, o judaísmo, o islamismo e todas as tradições espirituais do mundo, cada vida humana tem um propósito, um sentido, que permanece amplamente invisível às pessoas em torno, que para o próprio indivíduo só se revela aos poucos, e que só se esclarecerá por completo quando essa vida, uma vez encerrada, puder ser medida na escala da suprema perfeição, da suprema sabedoria, da suprema santidade. Essa escala é essencialmente a mesma para todas as épocas e lugares, e se torna conhecida pelos exemplos dos santos e profetas – no cristianismo, o exemplo é do próprio Deus encarnado. O problema humano fundamental é descobrir o meio de cada um se aproximar desse ideal unitário através da variedade de suas expressões simbólicas e doutrinais, bem como das contradições e mutações da vida mesma.
Há, pois, como se pode perceber do acima transcrito, uma linha a seguir, um caminho, um rumo ou um norte a conduzir o sujeito, indivíduo, pessoa ou ser humano, seja pelo bem ou pelo mal, sendo bom ou mau, para o bem ou para o mal, conforme seus princípios, valores e tradições ou modelos ou padrões de conduta. Diz-nos mais:
·         Os modelos de conduta do homem espiritual formam um panteão estável, um patrimônio civilizacional adquirido, onde cada indivíduo pode buscar a inspiração que o habilite a agir bem, independentemente das convicções reinantes na sua época e no seu meio, ao passo que os modelos do revolucionário são entidades móveis que nada valem sem a aprovação do consenso contemporâneo. Joana D’Arc e Francisco de Assis puderam ser santos contra a autoridade coletiva. Mas ninguém pode fazer revolução contra o consenso revolucionário.
·         Na perspectiva espiritual, a meta da existência é cada um buscar sua perfeição na vida de agora, fazendo o bem a pessoas de carne e osso que podem lhe responder e julgá-lo, dizendo se foi um bem de verdade ou um falso bem que só lhes trouxe o mal. Na ótica revolucionária, o que importa é ‘transformar o mundo’ e beneficiar as gerações futuras, pouco importando o mal que isto custe à geração atual. O destinatário do bem está portanto ausente e não pode julgá-lo, exceto através de seus autonomeados representantes, que são precisamente aqueles mesmos autonomeados benfeitores.” (Sic.)
·         Na visão tradicional, os exemplos de perfeição são muitos e sua conduta está meticulosamente registrada nos livros sacros e nos depoimentos dos crentes. Já a sociedade perfeita nunca existiu e o único modelo à nossa disposição é uma hipótese futura, cuja descrição idealizada é em geral muito vaga e alegórica, quando não completamente evasiva.” (Sic.)
·         (...) Por isto os profetas judeus são modelos de perfeição para os cristãos, os sábios hindus para os muçulmanos, e assim por diante. Já na esfera revolucionária, quanto mais um homem encarne a sua própria ideologia com perfeição, como Lenin e Stalin, Hitler e Mussolini, tanto mais ele se torna odioso e abominável aos seguidores de outros partidos. No máximo pode haver entre eles a mútua admiração invejosa de quem desejaria apropriar-se dos talentos do inimigo para mais facilmente poder destruí-lo. Não há virtude fora da fidelidade partidária.”
Com efeito, urge ao homem buscar seguir às virtudes essenciais, aos princípios e aos valores axiológicos fundados na ética e na moral de suas tradições espirituais condutoras de seus destino; claro!
·         As virtudes do homem espiritual são explícitas e definidas, têm um conteúdo conceitual identificável: piedade, generosidade, sinceridade, etc. As do revolucionário são ocasionais, utilitárias e instrumentais. Na terminologia de Max Scheler, a ética do religioso é ‘material’, visa a condutas e atos específicos; a do revolucionário é ‘formal’, reduz-se a uma equação genérica de fins e meios. Por isso o homem espiritual, conhecendo o conceito da conduta certa, pode se guiar a si mesmo, fazendo o bem de acordo com a sua consciência sem ter de seguir ninguém. Já o revolucionário só pode estar na conduta certa quando age de acordo com alinha justa’ do movimento revolucionário tal como esta é formulada, a cada etapa, pela liderança e pelas assembleias. A possibilidade de conduta independente é aí nula e autocontraditória.
·         Não existe a mínima possibilidade de acordo entre as éticas das grandes tradições espirituais e a mentalidade revolucionária de qualquer espécie que seja. Um dia cada homem terá de escolher. Aqueles que escamoteiam a fatalidade inescapável dessa escolha, buscando embelezar ideologias revolucionárias com frases copiadas das tradições espirituais, fazem isso porque, na verdade, já escolheram. Como dizia Simone Weil, estar no inferno é imaginar, por engano, estar no céu.
Há, pois, em cada um de nós, enquanto indivíduo, uma incessante busca ao devir (vir a ser) cujo caminho ou destino se biparte ou bifurca na permanente escolha entre o bem e o mal, tal e qual a sábia lição do velho cacique Sioux ao seu netinho sobre eterna lide dos dois lobos (um do bem e um do mal) que habitam em nós, quando perguntado por seu netinho: “quem vencerá essa luta, vovô?”
- “aquele que o alimentares”!
Abr
*JG
P.S.: * Ver mais inO mínimo que você precisa saber para não ser um idiota”, p. 135/137, de Olavo de Carvalho.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

PROMESSA É DÍVIDA: PAGUE-SE NOSSOS PRECATÓRIOS

Joilson Gouveia*

Preclaro literata caetés e tupiniquim "Peninha", ao ensejo, permita-me alguns simples questionamentos e meras indagações, a saber:
a)    Qual a situação do caso das “letras-do-tesouro”, daquele governo a quatro mãos, cujos juros foram (RE) “negociados” com a União?
b)   Qual epílogo da “novela Produban”, de cuja liquidação nada de positivo ou lucrativo ou benéfico resultou para os alagoanos e nossa espoliada Alagoas?
c)    Onde os valores creditícios denominados “precatórios” (direito do servidores prejudicados pelos “brilhantes planos-econômicos” dos governos federais de antanho?
d)   Onde o montante obtido com a “venda da CEAL” à Eletrobrás?
Aliás, insto edição de um texto nosso questionando tais créditos devidos pelo Estado aos nossos ludibriados servidores estaduais castrenses inativos e pensionistas, a saber:
  •   PRECATÓRIOS E SEUS MISTÉRIOS OU DESFECHOS SOTURNOS, SOMBRIOS E ENIGMÁTICOS.
  •        Joilson Gouveia*
  •     Todas as vezes que noticiam algo sobre essa DÍVIDA – que é do Estado, para com todos os seus servidores de então ou de outrora e que foram vítimas – e continuam sendo os pobres mortais que não o receberem; claro! - dos famigerados e maléficos senão pernósticos, perniciosos, prejudiciais e malditos “planos de governo da órbita federal”, no campo econômico -, pois o ESTADO os deve a todos os servidores e não somente daqueles que OUSARAM em postular, pugnar e pleitear em Juízo, ainda um DÉBITO IMPAGÁVEL, até agora.
  •    Ora, se é para se fazer justiça e reparar os danos causados pelo Estado, por intermédio ou mediante seus governantes, que se pague aos que destemida, corajosa e valorosamente pugnaram e conquistaram seus direitos – os quais são também, por equidade e isonomia de todos os demais servidores, que sofreram as mesmas perdas que os da causa vitoriosa – deixar de reparar a todos e somente pagar aos signatários é meia justiça ou lucro ao Estado, que causou gravame a todos e não somente aos “destemidos”. Ou não? Meia justiça ou pela metade e justiça tardia constituem odiosa INJUSTIÇA!
  •      Bem por isso, sinto um misto de náuseas repugnantes e furibundas ou de um asco enojado de nar o inimaginável…
  •        Pagar nossos PRECATÓRIOS NEVER! NÃO HÁ GRANAS! (?)
  •       Reitero, permitam-me mais uma vez dizer que o meu velho, debilitado e alquebrado pai – que já passou da barreira octogenária – ainda sonha, augura e anela receber seus devidos, merecidos e justos PRECATÓRIOS. Será (?)
  •       INDAGAÇÃO que decorre por ter sabido de fonte respeitável, ilibada e fidedigna de que “não há nenhum precatório destinado aos integrantes da briosa, pois todos já foram pagos” – Pagos (?) E todos? Como assim? “Bem, somente o advogado da causa originária é que poderá explicar-lhe, meu caro Joilson”. Foi o que ouvi. Atônito, absorto, pasmo e quase em delíquio dali retirei-me… Reuni forças e de lá me pus a sair quase tropegamente.
  •    Sem maiores delongas, somente sei dizer que nem meu brioso pai, nem os meus briosos falecidos tios, nem os sobrevivos assim como eu o recebemos, salvo se o receberam por nós.
  •    Lembro-me, clara, nítida e perfeitamente que fomos um dos pioneiros na citada pugna e, inclusive, as procurações foram impressas e assinadas na minha sala, e depois disso, cada interessado a levava à sede da Caixa Beneficente da PMAL e, em seguida, ao renomado Escritório Jurídico de Marco Bernardes Melo, que ganhou a causa para os servidores destemidos, intrépidos e esperançosos, sobretudo, nós da briosa mediante nossa entidade beneficente, para fugir às sanções disciplinares de tiranos ou déspotas comandantes de outrora. Enfim, e agora: onde está o dinheiro?
  •       Em tempo: já que o Estado não nos honra quitando sua DÍVIDA IMPAGÁVEL – salvo para os de beneplácito beneficiados, que o auferiram, ainda que com deságios extorsivos – o INADIMPLENTE ESTADO bem que poderia deduzir dessa IMPAGÁVEL DÍVIDA ou deixar de cobrar e receber os nossos IMPOSTOS, TRIBUTOS, TAXAS e CONTRIBUIÇÕES, mormente dos servidores (credores) que ainda não auferiram seus PRECATÓRIOS, que tal?
  •       Ou todos nós, seus credores, bem que poderíamos deixar de pagar; ou não? Já pensou se todos nós decidíssemos NÃO MAIS PAGAR nenhum imposto, tributo, taxa ou contribuição enquanto o ESTADO não saldar suas DÍVIDAS devidas pelo PRECATÓRIO. Pensem nisso!
  •        Abr
  •      *JG” – 24/11/2015 in http://gouveiacel.blogspot.com.br/2015/11/precatorios-e-seus-misterios-ou.html

Enfim, por que e para quê contrair novos empréstimos ou novas dívidas, para os alagoanos que sobreviverem saldarem-nas num devir, se a atual arrecadação financeira não honra nem paga tampouco quita tais precatórios dos servidores, como adrede prometido, garantido e assumido pelo atual “gestor”?
Abr

*JG