sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O SAUDOSO JOELMIR BETING ALERTOU, AVISOU E VATICINOU, MAS...

Joilson Gouveia*

Há, pois, nas chamadas redes sociais, verdadeiros avisos, anúncios, alertas, conselhos ou aforismos, que refletem ou reproduzem aos antigos ensinamentos populares tal qual aquela máxima “Vox Populi; Vox Dei”!
Hoje reproduzidos em forma de memes; num deles explicita que “Votar no PT é o mesmo que agradecer ao ladrão ou ao assaltante após o roubo ou assalto”, dentre outros do gênero! – “Pior que um governo corruPTo é ver um cidadão que se diz digno, correto, honesto, honrado e decente defendê-lo”! Isso é, convenhamos, deveras gravoso, danoso e lastimável!
Aliás, num deles, até comentei o seguinte, a saber:
É muito mais que isso - e não somente isso - votar neLLes é fazer apologia ao crime, sobretudo aos criminosos ou, no mínimo, ser cúmplices e coautores dos crimes de Lesa-Pátria, Evasão de Divisas e Desvios de riquezas, tesouro e de Erário! Ou não?
Digo mais ainda: E não tão-só, apenas e somente votar neLLes, mas, também, em todos os seus sequazes, séquitos e asseclas ou aparelhados, apaniguados, arraigados e incrustrados nas tetas da “viúva”, enquanto comissionados ou integrantes das chamadas centrais sindicais ou sindicados de todos os gêneros, matizes e cores escarlates, são mais 15.000, em todo o país, mormente daqueles “aliados” que integraram à “coalização vitoriosa” e vencedora daquilo que fora (e ainda é-o) o maior, mais vil, escabrosos, oprobrioso, inescrupuloso e criminoso ESTELIONATO ELEITORAL, nunca antes visto, registrado e perpetrado numa Democracia!
Entrementes, o mais deplorável, degradante, deprimente e humilhante é ver o cidadão de bem, decente, honesto, digno e honrado CRER nessas eleições em “seguras, invioláveis e invulneráveis urnas eletrônicas digitais” e VOTAR na esperança de eleger seus dignos representantes, seja para eleger seja para reeleger aos que nada fizeram, nada fazem nem nada farão senão manter seu status quo ante!
Ainda assim, há, pois, alguns breves momentos risíveis ou ridículos mesmos, por nada haver de alegre, hilário e jocoso nas impertinentes, improcedentes e renitentes lamúrias, lamentos e perorações atoleimadas das carpideiras escarlates desconexas, débeis, debiloides, dementes, inóxias, inanes e inocentes úteis de sempre e da linha-de-frente vociferando “diretas, já” ou “Fora, Temer” como se não fora eLLes quem votaram e os elegeram: tanto à RÉ – a condenada pela metade, numa “queda; sem coices”, graças ao urdido conluio ardiloso de dois “presidentes” - ora CASSADA, e de seu imediato substituto eventual legal e constitucional VICE, ora efetivado e efetivo Presidente do Brasil!
É, pois, quase um inenarrável, indescritível e imensurável prazer ver, ler e ouvir as latomias, cantilenas, ladainhas e ledanias enfadonhas, esfarrapadas e chorosas lamentações de quem perdeu o osso ou as tetas fartas que os alimentavam, por pura incompetência e na espúria convicção de que o crime compensa!
Enfim, acabou! Joelmir Beting foi fabuloso em seu vaticínio: “o PT, de fato, é mesmo um partido interessante, começou com presos políticos e vai terminar com políticos presos”! – Quase toda a pula escarlate investigada, processada, denunciada, julgada, condenada e presa, e, ainda assim, há cidadãos e cidadãs de “bem” que os defendem! – Pasme! Expulso mesmo só o Delcídio Amaral!
Temos dito: o “tchau, querida” será um definitivo “adeus, queridos”!
Abr
*JG
P.S.: Mais de três “ex” tesoureiros e três ex-ministros PRESOS; já se pode pedir música, no Fantástico! Uma ex-presidentA RÉ e CASSADA, eLLe RÉU em dois processos (por enquanto) e mais um casal RÉU, por assaltar aos coitados dos consignados!

Louve-se à “república de Curitiba”!

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A CLEPTOCRACIA NÃO COMBINA COM A DEMOCRACIA, NÃO MESMO!

Joilson Gouveia*

Bem, por acaso os conhece? Conhece-os?
- Se sim, informe aos PF's e à Força-Tarefa ou aos magistrados; colabores com a assepsia; não encubras, nem amoites, nem camufles ou acoites, como fizeram nesses últimos catorze anos os escarlates, né?
- E, se não, deixe de conjecturas, elucubrações ou fantasias levianas e insanas insinuações, infames e caluniosas quando não inescrupulosas, oprobriosas e criminosas!
Ora, ora, pois, pois, o sexteto desses apelidos todos: “o Careca, o Santo, o Estrela, o Brasileiro, o Corintiano e o Bragança"; pelos menos os quatro internos caem-lhe muito bem e como luvas às mãos deLLe, haja vista que se diz (segundo eLLe mesmo) ser um verdadeiro imaculado "santo", o “mais onesto dessepaiz”, um autêntico "brasileiro", que “nem precisa vestir verde e amarelo”; um fanático ferrenho torcedor "corintiano" e todo mundo tá "careca" de saber que eLLe  se acha a própria "estrela" brilhante de seu partido - uma que nunca brilhou; claro! Mas como ludibriou; não? – ou até mesmo todos esses alcunhas bem que poderiam ser-lhes devidos em face à inventiva capacidade criativa, afinal seu maior apelido, incorporado ao seu patronímico civil oficial ou público, nada mais é que o de um molusco invertebrado e descerebrado, mas bastante esperto e exímio em fugas, ardis dissimulações e escamoteados engodos e dribles aos seus vorazes predadores aquáticos no mundo submerso e de águas turvas. Ou não? Esqueceram?
Notem bem: sequer buscam explicar o inexplicável, defender o indefensável ou justificar o injustificável; mas, o tempo todo senão todo o tempo, tentam denegrir, desconstituir e desconstruir ou tergiversar, camuflar, escamotear, ludibriar e adulterar os fatos, realidade e conjuntura quando não tentam denegrir, enxovalhar, assacar e desmerecer os Poderes, Órgãos e Instituições republicanas democráticas, “dessepaiz”! É típico: a culpa é sempre dos outros! Ou: “os outros também fizeram igual”; como se os crimes dos outros os livrassem dos seus (deLLes)! É patético!
Há, pois, aforismos populares que bem denotam as induvidosas certezas, insofismáveis convicções e inquestionáveis, irreprocháveis, incontestáveis robustas provas, a saber: “quem fala a verdade não precisa de advogado, quem fala meia verdade precisa de um, quem mente inteiro é bom ter dois”. – Vide, pois, em nosso modesto, singelo e simples Blog, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/09/quem-fala-verdade-nao-precisa-de.html.
Ressabido, consabido, público e notório que há, pois, uma legião ou uma centúria de mais de vinte experientes causídicos, espertos juristas e exímios adevogados na debalde, pífia e tíbia defesa deLLe, o icnêumone está desesperado, insone e sem saídas. É fato: já é réu em dois das dezenas de processos que advirão, de certo!
Aliás, temos dito, repetido e reiterado, a saber:

Bem por isso, temos dito, repetido e reiterado: acabou! Destruiu-se a si mesmo e por si mesmo! E olhe que – confesso-me envergonhado, arrependido, frustrado ou bastante magoado de um dia ter crido no “lulalá”, e no “brilho de uma estrela” – até vesti preto e arrisquei-me perder as minhas estrelas, mas como bem dizia o próprio Nietzsche: “Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te”! Simples!
O “tchau, querida” será um definitivo “adeus, queridos” escarlates!
Fez do público o privado e será privado daquele! Sua vida pública está na privada, literalmente! A saída é a descarga! A estrela não brilhou; ludibriou! –
Fim!
Abr

*JG

domingo, 25 de setembro de 2016

TERCEIRIZAR A PRÓPRIA CIDADANIA É UM VÍCIO (?)

Joilson Gouveia*

O renomado, destacado, inteligente, sagaz, culto e douto literata caetés e tupiniquins nos propõe, sugere e insta uma esmerada reflexão às eventuais “injustas diatribes” sobre um mero expediente ou curial ATO DE OFÍCIO e próprio do mundo forense e bem comum ao Judiciário, para se fazer Justiça, quando do prenunciado, esperado ou antevisto, por Mota, “pedido-de-vistas” de um dos desembargadores-julgadores do “caso taturanas”.
De lembrar, pois, ao ensejo, o qual, além de lerdo, moroso e lentíssimo, jazia inerme mofado senão dormitava esquecido numas prateleiras empoeiradas dalguma sala do imponente Palácio do Judiciário, posto que a Justiça em nenhum palácio reside, nem o habita.
Sendo que destaca: “um processo com quase treze mil folhas, com todas as complexidades que se pode esperar de uma sentença que alcança dez condenados – alguns “menos” culpados do que outros. Imaginar um impacto na eleição maior do que o voto do relator, o discreto e sereno desembargador Domingos Lima Neto, é desconhecer o que já ganhou o mundo”. – Há mesmo isso: “alguns menos culpados do que outros”? – “Não há anjos nem santos”, na ALE! Ou não?
E disse mais, senão vejamos o assestado em seu pleiteado texto, a saber:
  • A nossa desesperança, usando a expressão que está num texto abaixo, não há de ser curada com este julgamento, especificamente. As instituições avançarão na medida em que nós assumirmos, também, as nossas responsabilidades históricas, políticas e sociais.
  • Além disto, já estamos na idade de decidir sobre o futuro de Maceió, considerando o momento de proximidade com a eleição, fazendo uso daquilo a que podemos chamar de consciência.
  • Terceirizar a própria cidadania é um vício que só nós mesmos podemos tratar – sem grifos no original!

Em verdade, a rigor e na prática, a desesperançada Sociedade não quer ser “curada”, mas sim que sejam julgados não só por seus malfeitos, desvios, malversação do Erário ou improbidade dentre outros tantos delitos inescrupulosos e tão criminosos, mas, sobretudo, que julguem os tais “menos culpados do que outros”, mas a todos culpados sim, pelos que têm a capacidade, o dever-poder e o múnus de ofício para tal, haja vista suas condenações no juízo a quo; ou não?
Não nos compete, enquanto Sociedade, indivíduo, sujeito (Ser Social) e cidadão, tal responsabilidade, nem mesmo no julgamento nas ou das URNAS – não nessas urnas “seguras, invioláveis e invulneráveis” de cômputos e resultados nada aferíveis, auditáveis, comprováveis e/ou contestáveis; não!
Ademais, no meu parco entender, modesto sentir e singela análise ou simples refletir, sem “desconhecer o que já ganhou o mundo, o impacto imensurável de mais de 300 milhões já deva ser bem mais que uns tantos bilhões, de cujos prejuízos somos os terceirizados ou seus fiéis fidejussórios e/ou credores diretos tanto quanto nos tais “precatórios”; ou não? – A propósito, concito-os lerem aqui, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/06/por-que-sempre-sobra-para-o.html
Inolvidável, portanto, o assestado por Rui Barbosa: “A justiça atrasada não é justiça, senão injustiça qualificada e manifesta - “justiça tardia; é injustiça”!
Enfim, só mesmo um MORO para acabar com a MORA; morou?
Abr

*JG

sábado, 24 de setembro de 2016

POR FALAR EM TROUXAS E IDIOTAS...

Joilson Gouveia*

Já nos vaticinara o inolvidável Nelson Rodrigues, em seus aforismos, a saber: “toda unanimidade é burra e “toda ignorância é atrevida”, mas quero crer que haja exceções posto que regra – ainda buscam uma hegemonia e persistem na renitência defesa do indefensável, ainda que mediante vitimadas lamúrias de carpideiras escarlates!
Houve até quem dissesse haver "trouxas" ou "idiotas" - e como os há; não?
Ainda não me esqueci daqueles que colaboraram na "vaquinha" do "zérói" Dirceu (condenado e preso no mensalão – que muitos juram nunca ter existido - e, também, no PTrolão), para pagar seu "adevogado", doutra “vaquinha” para eLLa poder viajar pelo Brasil bradando: é gópi, é gópi; e de uma celebridade que fez campanha nas redes sociais para doação de alimentos para a presidentA-afastada, depois RÉ/CASSADA, que estaria isolada e passando necessidades, no Alvorada!
Ah! Não são "idiotas", nem "trouxas" ou mesmo imbecis aqueles que defendem o "mais onesto dessepaiz" (RÉU em dois processos, por enquanto), que nunca mais "proferiu" nenhuma palestra e que nunca voa em voos regulares ou comerciais, mas tão-só, apenas e somente só em "jatinhos" de amigos seus, tal e qual o Tríplex e o Sítio, tudo de amigos seus, que só se hospeda em pousadas de cinco ou seis estrelas
Eh! De fato, somos mesmos, de fato, os "trouxas" ou os "idiotas", como dizem os cultos, espertos, inteligentes e sabidos entelequituais "inteligentíssimos"!
Houve quem dissesse que "era a voz dos excluídos" - catorze anos no "puder" e ainda há "excluídos"? Ainda há os SEM? Ainda há pobres, miseráveis e pobreza, que estranho, não?
Pasmem! Há, pois, sindicatos propondo "greves gerais e paralizações do país" em "defesa" dos mais de 12 milhões de desempregados, né?
Enfim, outros vibraram quando aquela meia-dúzia de "países democráticos" saiu em "protesto" à oratória do atual presidente do Brasil, num português escorreito, articulado, claro, preciso, conciso, digno e à altura de um cargo dessa monta, valor e estatura, na ONU!
Realmente, somos os "trouxas"! Iremos perder o apoio desses "progressistas" ou dessas "desenvolvidas potências mundiais"!
Os tais representantes, das “progressistas democracias”, não passam de trasvestidas tiranias escarlates sustentadas pela farta grana brasileira, que perceberam, viram e sabem que não mais serão sustentados, e mais, que serão cobrados todos os seus débitos, para com o Brasil e com seus brasileiros e as brasileiras, todas as dívidas de seus “investimentos”!
Inclusive, a “saída delles fez uma falta que que acabou a reunião”! Não foi?
Abr
*JG

P.S.: Um outro fez uso da projeção, por ser da área freudiana!

A ENCRUZILHADA PADRÃO

Joilson Gouveia*

A bela, brilhante, culta, competente, coerente e inteligente jornalista e apresentadora Ana Paula Padrão, mulher padrão e padrão de mulher até no nome, se diz na “encruzilhada” quanto aos “conceitos” sobre feminismo versus machismo – uma “coisa” arcaica, obsoleta, superada e ultrapassada, que somente existe nos neófitos esquerdoPATAS aprendizes daquilo que nunca deu certo em nenhum rincão desse planeta por ser completamente errado e um ERRO: comunismo/socialismo.
São os inocentes úteis da linha de frente, de Lênin. Massa de manobra amorfa, acéfala, ignara, agnóstica e seguidora de um líder mendaz, loquaz e mordaz cujo “mérito” é mentir, lograr, enganar, dissimular, escamotear e ludibriar a todos com suas infâmias, calúnias e injúrias! A culpa é sempre dos outros! Típico!
As Mulheres alçaram, no Brasil, ao mesmo patamar de igualdade em direitos e obrigações aos dos Homens, desde os idos de 1988, com nossa Carta Cidadã.
A tal ideologia de gênero olvida ao próprio gênero humano do “Sujeito de Direitos” albergado na Constituição Cidadã, porquanto cidadão de cidadania plena, conquanto revestido de um arcabouço jurídico-positivo que assegura, garante, proporciona e protagoniza a todos os seus Direito-Garantias, indistintamente e independentemente de seu gênero, sexo, credo, cor ou preferência político-partidária-ideológica, nos exatos liames legais: “todos são iguais perante a lei que é e deve ser igual para todos dentro de seus exatos parâmetros e limites”. E a isso se denomina ISONOMIA, numa Democracia!
Portanto, não há razão para que uns busquem mais direitos individuais subjetivos superlativos, supervenientes ou supra axiológicos aos já postos, expostos e reconhecidos ao cidadão sujeito de direitos e deveres que é-o, nem mais nem menos.
No mais, faltam lógica, inteligência e intelecto, além de coerência, decência, sensatez e bom senso nessas exposições de uma juventude, que se diz e pretende ser dona de seu corpo e dele faz muito mau uso, mormente quando defeca, urina, cospe, xinga e agride aos que pensam de modo diverso de sua bandeira, decretando uma ANOMIA senão ANARQUIA de uma rebeldia sem causa, nexo, sexo e plexo, e por puro complexo, seja de inferioridade seja de superioridade, esquecendo seu gênero humano enquanto Ser, e um Ser-Pensante, mas para sê-lo urge ter cérebro! Isso parece faltar-lhes!
Dizem-se donos do corpo sem distinguir seus gêneros e seus cromossomas humanos; ou não? Corpo sem cérebro é igual bonecas, bonecos ou manequins de vitrine que se assemelham aos humanos sem sê-los, ainda que vivam expostos aos passantes, transeuntes e visitantes das lojas nos shoppings da vida!
Enfim, eis o legado da “pátria educadora” desses quase três lustros de desgovernos destruidores da família e de seus membros integrantes que semeou uma igualdade que é distinta, díspar e diversa desses maravilhosos, fantásticos e fenomenais seres do gênero humano enquanto Homem e Mulher, Macho e Fêmea, bem por isso que dissemos PAR não é CASAL e CASAL não é PAR! - http://gouveiacel.blogspot.com.br/2015/06/estado-laico-versus-status-quo-ante-ou.html
Uma PAR não pari, não gera e não frutifica, ainda que viva como tal; um CASAL sim, pari, gera e frutifica para que a vida, a espécie e o gênero humano se perpetue, na Humanidade! Uma lei inderrogável, irrevogável e inexorável!
Abr

*JG

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

DIALÉTICAS PONDERAÇÕES OU OBJURGAÇÕES AO VETUSTO LITERATA CAETÉS: SOBRE SUPOSTOS ENREDOS E SHOWS DA LAVA-JATO!

Joilson Gouveia*

Ainda que admirado, respeitado, culto e vetusto literato tupiniquim, o mais astuto, sagaz, arguto e também mordaz em suas satíricas crônicas, em que pese nutrir unilateral admiração, consideração e apreço sem preço, somente pela dialética urbana, civilizada e democrática, é que ouso objurgar, rechaçar e reprochar ao grande ídolo admirável perspicaz caetés, senão vejamos seu editado veredito, dito e escrito sobre imputado “enredo de um show”, a saber:
Há sempre o risco de o protagonista de uma bela e virtuosa história se transformar em um grande erro humano. Daí, que só deve ser reconhecido como tal o herói que já morreu. Se vivo, ele ainda pode ser vítima da precariedade humana da qual não conseguimos nos desvencilhar – a vaidade, inclusive”.
– O que não dizer sobre os “zéróis escarlates” já investigados, processados, denunciados, julgados, condenados e presos no mensalão e, também e de novo, PTrolão – muito presos na época da indigitada “ditadura” e, agora, na democracia -, mormente sobre o seu ícone-mor, aquele que se diz o “mais onesto dessepaiz”?
Eis um caso clássico: o da prisão do ex-ministro Guido Mantega, uma estupidez corrigida por quem a cometeu – o juiz Sérgio Moro.
- Estupidez seria não ter tido a humildade de reconhecer, admitir e corrigir seus erros, falhas, enganos e lapsos, ainda que escorreita a decretação, sua grandeza exponencial se destaca, pois, justamente, ainda que por análise abalizada de comiseração, ao revogar a prisão legal em face da inusitada situação periclitante da enferma esposa do preso; ou não?
Humilde, magnânimo, digno e justo aquele que rever seus próprios atos! A falibilidade é inerente ao ser-humano, e MORO, a despeito de ser tido como o verdadeiro herói nacional, é mais que humano, de carne, osso e de coração, ao suspender o seu próprio decreto!
O que não ocorre jamais com os comunapteralhistas que sempre culpam aos outros por seus desatinos, desmandos, erros, falhas e crimes, conforme se lhes são imputados! Ou não? A culpa é sempre dos outros! DeLLes nunca, jamais e em tempo algum! Ou dizem: “os outros também fizeram antes” – como se os crimes dos outros os absolvessem dos seus!
No despacho em que devolveu a liberdade ao personagem, o magistrado disse que Mantega não representava nenhum risco à investigação em curso (por que prendê-lo, então?). E, apenas superficialmente, se referiu à condição em que a prisão ocorreu – num hospital aonde a mulher do ex-comandante da economia de Dilma iria se submeter a uma cirurgia”.
Ora, ora, pois, pois, o delinquente, o marginal, o meliante, o infrator ou o criminoso há de ser preso aonde, quando, como, com quem e por quem deva prendê-lo onde quer que seja encontrado, seja em flagrante delito ou “por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente”, como in caso.
A lei somente o resguardaria da prisão se estivesse em seu lar, sua casa, no interior de seu asilo inviolável, desde que no horário entre as 18:00 horas e 05:00 horas, sendo entre as 05h01 e 17h59, seria preso!
Este episódio parece, ainda que não seja intencional, a continuidade do show do procurador Deltan Dallagnol, brilhante, como o juiz Moro, na função que exerce. Mas que tropeça facilmente quando sai do quadrado em que tão bem sabe caminhar. São os especialistas – os dois -, que, como diz o escritor e ensaísta Mario Vargas Llosa, “vão longe no campo que dominam, mas não sabem o que ocorrem ao redor e não perdem tempo averiguando os estragos que provocam em outros ambientes, que não os deles”. Sem grifos no original.
 - Verdadeiro “Show” foi o que fizeram com nosso Erário, meu caro!
Ah! O assestado por Llosa cairia como luvas às mãos escarlates, nesses últimos catorze anos; ou não?
Nunca que sabem, nem souberam, nunca que ouvem, nem ouviram, nunca que veem, nem viram, mormente ao que se passava ou se passou no seu “quadrado”, nos intestinos do “Poder”! Inclusive até assinaram sem ler! Estranho, não?
E cá para nós: de uma função tão complexa – a de procurador ou a de magistrado – há de se exigir capacidade de raciocínios complexos, para além do senso comum. Que deixem isto para nós, os jornalistas.
Numa frase, o genial Millôr Fernandes, o nosso filósofo iconoclasta, já nos alertava que o especialista é aquele que só não é ignorante em uma coisa.
Longa vida à Lava-Jato!
Vida breve à vaidade e à outras misérias humanas”!
- O inolvidável Millor esteve e estaria corretíssimo se não houvesse jornalistas “especialistas” em desconstituir, desconstruir, desvirtuar ou menoscabar e dissimular ou escamotear fatos, realidades, verdades e conjunturas com suas conjecturas que a nada ignoram e a tudo e de tudo sabem, mas opinam em tudo e sobre tudo, ainda não estejam no lugar do fato, do feito, do evento ou do caso, consoante sua verve!
Enfim o “império da jararaca asquerosa, sorrateira, mendaz e mordaz” está arruinado, ruindo e em ruínas ou literalmente desmoronando graças ao muito bem assestado por Llosa e acima citado pelo dileto cronista satírico!
Abr

*JG

DISTORCIDA DISTORÇÃO OU ENGANOSA CONVICÇÃO EQUIVOCADA

Joilson Gouveia*

Ledo engano ou pueril equívoco ou mesmo ignaro desconhecimento sobre o devido processo legal de IMPEACHMENT, ainda que um remédio acre, amaro, ácido ou indigesto a quem o sofreu: o "mesmo político eleito pelo povo pode ser destituído pelo mesmo povo" - nas palavras do "asceta de prístinas virtudes", em 1992. Hoje, virou golpe, né?
Distorção na Constituição Federal deu-se quando, ainda que não concordando com o bordão ou aforismo nordestino "além da queda, o coice", deixaram-na só com a "queda", mas "sem o coice": INABILITAÇÃO, por oito anos, previsto no parágrafo Único, do Art. 52, da CF/88, que foi "torcida e distorcida" por quem deveria conhecê-la amiúde e por quem deveria defendê-la por dever de ofício, aí sim houve “quebra da lei”!
A maior quebra-da-lei do Estado Democrático, Humanitário e de Direito se deu no maior ESTELIONATO ELEITORAL de todos os tempos, em 2014! E creio que em todas as eleições havidas desde o advento dessas “confiáveis, invioláveis e invulneráveis urnas digitais eletrônicas”! Tenho dito!
Ainda que não haja provas, convicções e certezas de que houve eleições limpas, transparentes e aferíveis ou comprováveis e computáveis de seus resultados contabilizados das “seguras, intactas e imaculadas urnas digitais eletrônicas", quanto aos votos sufragados, é ressabido, consabido, público e notório que "o golpista", “fascista”, “farsante”, “traidor” fora eleito juntamente com a RÉ, ora CASSADA e defenestrada do "puder", por duas vezes consecutivas, pelos mesmos comunapetralhistas que o querem FORA! Seria hilário se não fora ridículo, no sentido mais grotesco!
Os brasileiros e as brasileiras decentes, dignos, honestos, honrado e de BEM suportaram, ao máximo dos seus limites ordeiros, pacatos e civilizados ou cívicos, aos desastrosos desgovernos escarlates, nesses últimos catorze anos, relaxem, aceitem e admitam que perderam, quando defenestrados e CASSADOS, e até torçam para que dê tudo errado com o Temer; não votei nele, mas não o temo, nem torço para que dê tudo errado, não sou da turminha ou grupelho escarlate do “quanto pior, melhor”! Deixem-no trabalhar, seus vermelhos!
Os mandados de busca, apreensão e prisão são meios, modos e procedimentos legais, regulares e regulamentados próprios de um Estado Democrático, Humanitário e de Direito, ainda que a prisão seja a exceção porquanto a regra ser a liberdade, que tanto poderá ou deverá ser excepcionada, quando em Flagrante Delito, por quaisquer agentes da ordem e segurança Públicas ou até mesmo alguém do povo facultatis volunptas ou sobretudo, como no caso, “por ordem escrita e fundamentada da autoridade judiciária competente”, que deverá ser cumprida onde quer que esteja o infrator, delinquente ou criminoso que “quebrou a lei”!
O indefectível, intrépido, inteligente, determinado, diligente, coerente, competente e contundente MAGISTRADO (assim em maiúsculo) até que foi célere e bastante magnânimo ou de uma samaritana bonomia ímpar e comiserada ao revogar o decreto de prisão temporária, em face da inusitada situação delicada da esposa do preso, que jazia assistida e muito bem tratada num nosocômio diverso dos do SUS – comunapetralhistas nunca vão ao SUS, mormente os da alta-pula escarlate!
Mas, daí a se dizer ou insinuar ou imputar que houve arbitrariedade, ilegalidade, abuso, excesso ou crueldade já é ser injusto, infame, leviano, calunioso ou injurioso com quem está passando o Brasil a limpo, graças às próprias arruinadas ruínas do “império da jararaca asquerosa, venenosa, sorrateira, mordaz e dissimulada”!
Abr
*JG

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Buscam "uma agulha no palheiro" ou lançam fagulhas no monturo!

Joilson Gouveia*

Já dissemos, discorremos e editamos em nosso Blog, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/09/o-mais-grave-e-noticia-ou-o-noticiado.html O que é mais grave a notícia ou o noticiado?
Eis que, uma grande parte da mídia, antes tida como PIG, urdida, mancomunada ou golpista CONTRA os “escarlates perseguidos” e que sempre posam de “vítimas” de todos que conspiraram ou conspirariam CONTRA eLLes: “Deus, o universo, os cosmos e os cidadãos brasileiros e as cidadãs brasileiras dignos, decentes, honestos, honrados e de bem, ‘dessepaiz’, estaríamos inventando, caluniando, difamando, injuriando ou mesmo ‘criando’ os fatos, episódios e eventos e todos os oprobrioso, inescrupuloso e criminosos casos noticiados, investigados ou denunciados na mídia, no mais da vez, resultados das investigações da Operação Lava-Jato”.
Há, pois, quase uma unanimidade por parte de certos políticos, segmentos e setores da Sociedade, nada comprometidos com a lisura, a transparência, a publicidade, a ética, a moral, o legal, o constitucional e os bons costumes, até uma plêiade de renomados advogados, juristas e celebridades não satisfeitas com os resultados catastróficos, danosos, desmoronadiços e devastadores aos mesmos ou autoridades insones, intranquilos e incomodados com o cerco ou a montagem do quebra-cabeças ou identificação de seus “tentáculos” e digitais, bem por isso se esperneiam, berram, bradam, urdem, tentam e querem acabar ou barrar ou cercear, limitar e tolher os poderes da Lava-Jato - http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/09/precisamos-acabar-e-com-o-foro.html já insinuaram que ela deveria “separar o joio do trigo”, o que é dever de todos e quaisquer agentes políticos ou servidores públicos e cidadãos de bem!
Uns apontam falhas, erros, equívocos ou injustiças, citando o único caso da irmã do “inocente João Vaccari” (conduzida coercitivamente, presa, e, depois, incontinentemente liberada), a condução coercitiva do “asceta de prístinas virtudes”, o qual já é RÉU em dois processos, e conta com uma bancada de mais de 20 “adevogados”: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/09/quem-fala-verdade-nao-precisa-de.html -, e, agora, a “prisão temporária” de Guido Mantega – por estar cuidando da mulher no Hospital Albert Einstein e não num hospital do SUS – ao que se sabe é economista não médico, onde sequer houve solução de continuidade no tratamento de sua esposa, e fazem desses fatos os maiores estardalhaços, celeumas, bravatas, bazófias, perorações de pirotecnias mordazes! Aliás, sua “prisão” foi tão breve quanto a posse do “virtuoso Luís LI”, na Casa Civil.
Até no RODA VIVA, programa da TV Cultura/SP, foi-se dito que 97% das decisões, despachos e sentenças condenatórias do intrépido, destemido, brilhante, audaz, culto, inteligente, coerente, diligente, sagaz, astuto e determinado MAGISTRADO SÉRGIO MORO (assim com todas as letras em maiúsculo) foram ratificadas, homologadas e corroboradas pelos Tribunais Regionais Federais e STJ e, sobretudo, pelo STF! O qual tem, nos seus quadros, oito ministros indicados pelos escarlates dos onze togados existentes!
- Ninguém é perfeito, né?
O Brasil necessita de uma célere, urgente e urgentíssima MOROlização e não somente nos Poderes Públicos!
No mais, fico com a sabedoria popular retratada num dos adequados memes recentes: "Pior que um governo corruPTo é o cidadão que o defende" e "Não é honesto, nem decente um cidadão honrado e de bem defender ou votar no 'PT', por ser apologia ao crime"! Ou não?
Ah! A propósito quando e quantos, dos já condenados do tal "partido", foram expulsos, como vociferado pelo seu presidente Rui Falcão? Ah! Isso em nada é absurdo, nem prejudicial nem danoso à economia e ao país, né?
Temos dito, repetido e reiterado: o “tchau, querida” será um definitivo “adeus, queridos escarlates”! Acabou!
Abr

*JG

terça-feira, 20 de setembro de 2016

PRECISAMOS ACABAR É COM O FORO PRIVILEGIADO

Joilson Gouveia*

Li e não cri, mas não me surpreendi com uma suposta declaração atribuída ao impoluto, imaculado e probo presidente do Senado e Congresso Nacional, ao assestar que a Operação Lava-Jato “precisa acabar com o exibicionismo”!
O qual assestou, a saber:
A Lava Jato tem a responsabilidade de separar o joio do trigo e precisa acabar com esse exibicionismo, que vimos agora no episódio do presidente Lula e em outros episódios. Precisa fazer denúncias que sejam consistentes. Porque isso, em vez de dar prestígio ao Ministério Público retira prestígio do Ministério Público e obriga o Congresso Nacional a pensar numa legislação que proteja garantias, que facilite a investigação”, afirmou Renan, que é alvo das investigações da Lava Jato.
E disse mais ainda, a saber:
“Nada vai deter a Lava Jato, mas a Lava Jato precisa acabar com esse processo de exposição das pessoas sem culpa formada. É preciso fazer denúncias consistentes e não fazer denúncia por mobilização política. Com isso, o país e as instituições perdem”, concluiu o presidente do Senado.- Sem grifos no original contido in http://www.tnh1.com.br/noticias/noticias-detalhe/politica/renan-calheiros-diz-que-lava-jato-precisa-acabar-com-exibicionismo/?cHash=32a8427448e6d660cbc1d187414fdd13
Fonte: Agência Brasil.
Ao que se nos antolha, e se pode inferir dessas desbragadas, oprobriosas e inescrupulosas ilações, tanto ou mais quanto o seu açodado “voto antecipado sobre o adrede fatiamento”, cuja votação sequer havia sido anunciada e aberta pelo Presidente do STF, numa cartada-de-mestre das ilusões digno de habilidosos e exímios senão espertos prestidigitadores ao não concordar com o bordão nordestino: “além da queda, o coice”; que salvou-a da imperiosa, imperativa, justa e prescrita inabilitação devida, necessária e imprescindível quando decretada a PERDA do cargo deLLa, numa infensa afronta ao teor claro, hialino e cristalino do Parágrafo Único, do Art. 52 da CF/88, ao qual deveria conhecer e saber de cor e salteado, bem como a toda ela: Constituição Federal.
A nossa Carta Cidadã exige a transparência e publicidade na apuração devida e ampla divulgação dos Crimes CONTRA a Administração Pública, mormente por não correr em segredo de justiça ou se tratar de nefasto, funesto e nefando foro privilegiado por exercício de cargo, que tanto tem parido a ignominiosa, inescrupulosa, perniciosa, maléfica, perversa e criminosa IMPUNIDADE, e é exata, justa e imprescindível a isso sim que precisamos acabar, “NESSEPAIZ”.
O que nos deixa atônito, estupefato, surpreso e intrigado, contrariado ou indignado é entender o afastamento do intrépido colhudo Cunha de suas funções, atribuições e de seu cargo de presidente da câmara, por estar sendo investigado e denunciado, mas o STF não trata de modo igual, similar, semelhante e símile com a devida e mais justa equidade equânime ao presidente do Senado, que tem muito mais denúncias, investigações e representações que o cassado Cunha, a quem o Brasil e os brasileiros e as brasileiras devem a emancipação do jugo escarlate! Eis a verdade!
O ocupante de cargo público, quaisquer cargos que sejam, é quem primeiro deveria dar o exemplo de diligência, proficiência, legalidade, probidade, dignidade, sobriedade, serenidade, responsabilidade, transparência e publicidade de seus ATOS, se fosse revestido com o mínimo de escrúpulo, moral e ética públicas, por seu livre nuto, deveria instar seu afastamento espontâneo, voluntário e imediato até a conclusão das investigações ou denúncias, isso sim! Ou não?
Enfim, a Operação Lava-Jato tem seguido ao due process of law – devido processo legal – do nosso Estado Democrático, Humanitário e de Direito, sobretudo assegurado, garantido, cumprido e respeitado a todos os meios e recursos inerentes à ampla defesa e ao contraditório, inclusive o investigado armou-se e muniu-se de uma bancada de mais de vinte advogados, para tentar explicar o inexplicável ou justificar o injustificável ou defender o indefensável – ver aqui, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2016/09/quem-fala-verdade-nao-precisa-de.html.
Temos dito: acabou! O “tchau, querida” será um breve, rápido, célere, urgente e urgentíssimo, mas definitivo “adeus, queridos escarlates”!
Abr

*JG