quarta-feira, 29 de outubro de 2014

DEVEMOS ERGUER OU DERRUBAR MUROS?


Joilson Gouveia*

Um “esclarecido”, inteligente e culto defensor do status quo dominante e “ganhante”, que antes e durante fez uso do “outrora versus agora”, da acirrada birra instigante ou açulada de xenofobia e de falas odiosas às classes – sobretudo à MÉDIA, consoante falas amorosas de sua culta Chauí – de contendas (“zelites” versus pobres) ou divisões apartadas ou regionalizadas dessa nação, que somente foi dividida na retórica ululante. Agora, muda o tom para um mais ameno ou amistoso de “brasileiros; uní-vos”!
Entrementes, do quadro infra e apresentado pelo “esclarecedor” esclarecido, pode-se inferir que o substrato díspar do que está colacionado e trazido ou editado à equiparação à conjuntura brasileira é bem díspar, diferente e diversa das demais nações citadas, claro! Naquelas, as URNAS ELETRÔNICAS não são invulneráveis, invioláveis e inseguras e frágeis como às nossas, que já trazem resultados antes mesmo de serem abertas à votação. Simples assim, não?
Lá nos EUA e Holanda (e até mesmo na Índia), os processos eleitorais são atrasadíssimos, ainda conferem voto a voto e contando cédula uma a uma, manualmente e nos dedos, portanto, digital, né? Aqui não! Aqui tudo é tão moderno e tão rápido e tão avançado, tão eficiente e eficaz que, em apenas dois minutos, se ALTERAM RESULTADOS, basta um simples clique; ou não?
Lá, eles usam e usaram toda infraestrutura da máquina pública, das suas estatais e (Pasmem-se!) até dos Correios e coagiram aos servidores, funcionários e empregados, sobretudo, aos necessitados, carentes e dependentes ou beneficiários de seus programas sociais, assistenciais e beneméritos ou samaritanos de manutenção e preservação em currais dos pobres, na pobreza, sem perspectivas de labor, emprego e trabalho condignos e de ascensão, etc.
Cá, não! Aqui é bem diferente! Nenhum dependente, necessitado, carente ou beneficiário sofreu a mínima coação, ameaça ou pressão e foram alçados à CLASSE MÉDIA e saíram do “mapa mundi” famélico; não?
Aliás, aqui saiu tudo como previsto, planejado e querido como o próprio dono do partido quis, e o povo todo está feliz, de cubanos a venezuelanos bolivarianos! Já nós, os brasileiros de cada região, não!
É simples: dos mais 201 milhões de habitantes, residentes e no exterior, e de seus mais de 142 milhões de leitores, apenas uma ínfima minoria de mais de 88 milhões de eleitores foram e ainda são CONTRA e, sobretudo, disseram-lhe um NÃO ALTO E SONORO ao que aí está e que  alguns chamam de "governo"...
Democracia é o governo da maioria subsumido ao Império da Lei, e nunca à vontade de seu “príncipe” ou aos déspotas, mas - destaque-se -, eLLa sequer a teve dos seus eleitores (142 milhões) quanto mais de seu povo. Onde que 54 milhões são mais e maioria de 142 milhões de eleitores? Não pode nem deve ser mais ou maior que seus habitantes que totalizam 201 milhões.
Simples assim, né?
Como já dissemos antes, na “democracia tupiniquim”, que é e está equivocada ou a história está muito MAL contada! Ou não?
Há muros sim! Há um muro entre os sérios, honrados, honestos, probos, éticos e cidadãos trabalhadores contribuintes (que sustenta, com seus impostos e suor e labor, aos mais de 47 milhões de beneficiários dos tais bolsas) que abominam aos corruptos e corruptores desse poder arraigado, aparelhado, infiltrado nas Instituições e Órgãos Estatais Republicanas e Democráticas, que espolia, avilta e assalta ao Erário e aos cofres públicos e que tem como “zéróis” e “valentes” todos os seus terroristas, assaltantes, assassinos, guerrilheiros, e como seus ícones e gurus, que afirmam que “todos os brasileiros somos corruptos” igualmente a eLLes!
Não! Não somos iguais nem semelhantes a eLLes! Eis que há um muro invisível entre eLLes e nós, os brasileiros e brasileiras de BEM deste paísem minúsculo e do tamanho da moral deles, claro!
Abr

*JG

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

ELEIÇÃO OU ACLAMAÇÃO DO CRUEL OPRESSOR POPULISTA VERMELHO?

Joilson Gouveia*

Meus amigos e minhas amigas, ainda que combalido, ferido e entristecido com o resultado do último pleito eleitoral, que outorgou legitimidade ao jugo odioso e opressor status quo da escravatura famélica ou do oportunismo proveitoso e aterrorizador ou perene cabresto famélico de milhões brasileiros carentes e necessitados da dignidade de um trabalho decente, salutar e condigno labor, para que seja livre para exercer suas faculdades – facultas agendi – de escolhas de seus representantes, mormente quanto ao mais honesto, lúcido, honrado, competente, probo, escrupuloso, capaz e sóbrio condutor dos destinos, objetivos, objetos, economia e riqueza de nossa Nação. É fato!
Ainda assim, não podemos nos sentir frustrados ou envergonhados ou decepcionados e, menos ainda, revoltados, sobretudo, regionalizados ou divididos ou rivalizados – como disseminaram e destilaram em iracundas falas, comícios, panfletos, discursos e vídeos dispersos pulverizados na grande rede mundial de mídia - porquanto somos todos brasileiros, juntos, unidos, agregados e misturados: Nortistas; Nordestinos, do Leste ou Sudeste, do Centro-Oeste ou Sulistas, e, em todas elas há a miserável ou odiosa pobreza, mas úteis aos seus fins em si mesmas, que dizem ter transformados em CLASSE MÉDIA, para serem ODIADOS pela culta Chauí, sob os risos, aplausos e gozos de seus ouvintes em plenárias. É fato!
Em verdade, não fomos somente nós, e, apenas os nossos nordestinos, que a elegemos, pois que, no SUL e no SUDESTE, eLLa obteve um maior número em percentual de votos; sabias? O voto famélico ou bolsa ditadura ou escravatura - ver próximo quadro - bem reflete o tamanho e a grandeza do curral ou do cabresto eleitoreiro, compare-os, a seguir: são mais de 47.854,606 de “beneficiários” ou assistidos ou gratos eleitores de uma população de 201.032,714 milhões de habitantes!
Note-se: somente o Sul e Sudeste deram-lhe 26,7 milhões de votos, e, consoante se poderá ver do quadro infra, há quase uma paridade aos 30% de Bolsas Família ou Bolsas misérias de todo o país (assim em minúsculo como seu povo oprimido, calado e consentido)- leia-se cabresto eleitoreiro ou rédeas de um voto famélico desse um povo escravizado, aterrorizado ou compelido e coagido ou refém de óbolos, no país inteiro, ostensivamente ameaçados da perda de seus benefícios, benesses ou sinecuras elevadas ao cúmulo da bonomia, generosidade, solidariedade da gentil, dúctil, caridosa samaritana MÁ “mãe dos brasileiros – assim louvada, venerada e ovacionada desde sua apresentação, por seu criador!
No entanto, para entender ao outro urge que se ponha ou passe a se pensar como o outro ou se por no lugar dele.
Destaque-se que, ainda que viciados ao óbolo fácil, numa apologia ao ócio estimulando-lhes à doentia preguiça e ao vício, bem como há, também, sobretudo, a nefasta, funesta, perniciosa, intolerável e inaceitável ou escassa mão-de-obra em face da inexistência de oportunidades de empregos e trabalhos condignos para esses mesmo beneficiários, que sobrevivem ou dependem única, total e exclusivamente dos “óbolos caridosos dos que governam para os pobres” – ainda que os bancos tenham tido os maiores lucros nesses três lustros seguidoseis que aqueles ficaram, ficam e ficarão sempreentre a cruz e a espada” – pobre pode até “não pensar” (como dizem alguns intelectuais), mas sabe que é isso ou nada! Certo ou errado ele “pensa” assim: “seu moço, ele rouba mais faz e me dá ou meu de comer; será que outro num vai cortar, seu moço? Tá todo mundo dizendo isso!” – “sei não vô votá é neLLa que desde o Lula me tem enchido a panela”! (Falas entre duas amigas, na fila da votação, ao serem indagadas sobre seus votos)
Destaque-se, porém, jamais se poderia ou poderá dizer que são asnos, burros, ignóbeis ou ignorantes (no sentido cultural de desconhecer o conceito sobre as coisas da política), mas urge que os vejamos como vítimas do nefasto populismo do “governar para os pobres” desde que assim sejam mantidos para retribuir-lhes em voto de gratidão ou ingratidão dos “inocentes úteis” doadores de tais óbolos.
Enfim, não foram somente esses pobres miseráveis ou “ignorantes” que reelegeram a criatura, não foi mesmo. É fato! A recondução se deu pelo embate da honestidade de um povo inteiro (que se dizia indignado em 2013, que foi às ruas e até vaiaram-na para o mundo inteiro ver) versus corruptos declarados ou delatados e noticiados pela “imprensa golpista”, assim chamada pela legião de guerrilheiros digitais ou virtuais da “ZELITES” de CLASSE MÉDIA ou ALTA porquanto constituída de gente com o segundo e terceiro graus de escolaridade, nem tanto de inteligência, de racionalidade ou intelectualidade, mas com a capacidade mínima de discernir ao óbvio e ululante e ostensivo PERIGO de uma tirana cubanização ou venezuelização.
A salutar alternância democrática sucumbiu à ignorância ou arrogância ou militância dessa mesma classe média tanto odiada pela culta mentora dos petralhas num aparelhamento enrustido e arraigado nas entranhas dos poderes e das instituições de uma res publica ocupada e dominada pelos corruptores da decência, da dignidade e da honestidade, virtudes esquecidas ou substituídas pela gana ambiciosa de levar vantagens em tudo, contanto que não perca suas tetas – talvez a Chauí tenha “razão” em “odiar à classe média” – mas Rui sempre esteve certo!
E, como o disse, nossa democracia está erradíssima ou o sistema eleitoral é falho, frágil, obsoleto e equivocado por considerar válido aquilo que não está refletido na vontade da imensa maioria do povo - que não disse sim a isso que aí está - mas, eLLa teve uma maioria de votos válidos! O sistema eleitoral, que não é seguro, confiável nem invulnerável nem inviolável, não entende ou não computa ou não há como incluir, nas suas estatísticas e percentuais de apuração, o PROTESTO dos votos brancos, nulos e abstenções de mais de 146,7 milhões de brasileiros silentes, calados, tementes e ausentes desse joguinho, cujas regras são inalteradas e nada alterantes do status quo dominante.
Por fim, os 201.032.714 milhões de habitantes brasileiros estão reféns aos 54.501.118 de eleitores dela; quando 51.041.156 eleitores disseram-lhe, clara, ostensiva, manifesta e democraticamente: UM NÃO; e, por conseguinte, os demais 146.751.59 da população brasileira está acuada e com medo ou com nojo do que aí está: oligarquias vermelhas oprimindo maiorias.
Eis o fiel da balança: provado que, dos mais de 201 milhões de brasileiros, residentes e no exterior, sofrem, reclamam, amargam vencidos pela decisão de apenas e somente 3.459.962 votos a mais que ao "não a eLLa". Este fiel teria sido originado dos 47.854.606 beneficiários de BOLSAS e do Norte e Nordeste? Digo e creio que não!
Abr
JG


terça-feira, 14 de outubro de 2014

TREZE ANOS de engodo, ardis e desvios ou generosas doações às nações fracassadas, mas irmãs de ideologia!

Joilson Gouveia*

Na cabeça ou na fala dos gurus ou intelectuais pensantes do partido que se diz dos trabalhadores – basta ver, na cúpula ou nas mesas das plenárias, quantos são verdadeiros empregados, funcionários ou mesmo trabalhadores ou “cumpanhêros” dignos, honestos e honrados (que, induvidosamente, constitui aquilo que eles denominam de “zelites”), que mais tem pregado o ÓDIO ou a INSENSATEZ, INSANIDADE ou INCOERÊNCIA ou até mesmo a sobriedade de um bêbado – assistam ao vários vídeos na grande rede mundial de computadores!
Notem deles, nas suas falas rancorosas – e nunca discursos, pois estes devem ter prólogo, desenvoltura ou desenvolvimento e epílogo com segmentos e seguimentos claros! – que há uma pífia, inóxia, inescrupulosa ou desvairada tentativa de confundir ou dividir ou açular o ódio em classes sociais ou castas ou divisões do sujeito povo, como se fora possível admitir espécies de cidadãos ou de cidadãs ou de seres humanos, porquanto todos são sujeitos de direitos e indivíduos iguais perante e conforme a Lei. Está na LEI MAIOR! – que eLLes sempre foram CONTRA; claro!
Primeiramente, eLLes vociferam, esbravejando, babando e cuspindo, expondo, demonstrando ou declarando e destilando o mais vil, venenoso, vergonhoso, inaceitável, intolerável e iracundo ódio escancarado à classe média e às “zelites”, e que são os próprios – vejam aos vídeos! – notem que todos eLLes, da cúpula das plenárias – “são pobres trabalhadores” ou paupérrimos companheiros ou meros, comuns e simples funcionários ou empregados e sobrevivem daquilo que o seus eleitores de carteirinha ou militantes ou “cumpanhêros” sobrevivem: os tais BOLSAS! Vejam ao padrão de vida deLLes, dos filhos deLLes e dos demais da “militância” se díspar, diferente ou diverge do el comandante em chefe da ilhota e o de seu oprimido, objurgado, enclausurado e censurado pueblo cubano!
Aliás, os tais BOLSAS são óbolos, meios, modos, maneiras e ferramentas de continuação ou manutenção do cabresto eleitoreiro dos pleitos eleitorais, como bem o disse e dizia e se contrapunha às cestas-básicas aos vales-gás, aos vales-transportes, vale-refeição e aos tickets-leite o molusco barbudo, barbado e etilizado, antes do “lulalá”, depois...
Segundo: o hilário, jocoso e cômico se não fora tão cruel, imoral, ilegal e trágico ou inverídico, é dizer, informar ou computar todos os escravos, mantidos pelos tais BOLSAS, como população ativa empregada ou trabalhadora ou como se fora funcionário ou trabalhador formal e de carteiras assinadas ou contribuintes da previdência social. E tem mais: o mais escabroso ou nefasto, maléfico ou puro descalabro é dizer que OS RETIROU DA LINHA DA POBREZA ELEVANDO-OS Á CLASSE MÉDIA e à qual, eLLes tanto ODEIAM, como o bem disse aquela culta Chauí.
Ademais, ainda assim, arrotam que o “filho do pobre já pode virar “doutô” como nunca antes na istóradessipaís – que para eLLes é classe média ou “das zelites” – lembram que os nossos honrados, competentes e capazes médicos foram considerados por eLLes como bode expiatório de toda incompetência e inoperância e ignorância e descaso com a Saúde dos brasileiros e das brasileiras e, sobretudo, com o “milhó sistema de saúde do mundo”, o SUS, para o qual nem eLLe nem ELLa acorreram quando se diziam com males incuráveis.
Abro um parêntesis, para testemunhar que sou filho de um soldado, pescador e pobre e tive e tenho vários colegas de infância e como estudantes de escolas públicas e gratuitas, que se tornaram “doutô”, mesmo sendo filhos de pobres, pescadores, soldados, policiais, barbeiros, carroceiros, pedreiros, jornaleiros ou lavadeiras de roupas; foi bastante estudarem e aprenderem e respeitarem e obedecerem aos seus pais, seu ignóbil que faz apologia à ignorância!
Voltando ao SUS! Para onde foram? Onde se curaram? – se é que sofriam mesmo dos males ditos – pois, em 2010, a pintaram de coitadinha e de guerreira (nunca do que fora, na verdade: guerrilheira, assaltante e assassina) e de lutar contra ao mal que lhe afligia e com a grande falácia da PEC/300, que fez todos os inocentes, crentes, ingênuos, ignaros, néscios, honestos e esperançosos castrenses votarem neLLa; e que, uma vez lá, pôs o DEDÃO dela e a tal PEC virou peste ou praga, e foi defenestrada da pauta, mas aprovou a DAS EMPREGADAS! É outra classe trabalhadora ou “exército” enganado e ludibriado, que acha que está livre do jugo e lhe devolverá o reconhecimento em votos!
Terceiro: e, tem mais, o pior é saber que, ainda há policiais civis e bombeiros ou policiais militares por esse imenso País, querendo ou pretendendo ou que se propõem em VOTAR na MÁ“mãe dos brasileiros, como fora apresentada a “gerentona do PAC – Programa de ACELERAÇÃO de Cuba – já que tudo que fez, tem feito e faz, é por Cuba libre; já aos brasileiros trouxe-nos los médicos cubanos, sem revalida e tudo o mais, aos quais confiam tanto que não os consulta, acorrem ao Sírio-Libanês, quando se dizem doentes, e paga-lhes U$ 3.00,00 e U$ 7.000, 00 ao seu el comandante em chefe! Notaram: o médico cubano ganha apenas 30%, e 70% vai para su el rei ilhéu!
Ademais, um brioso policial (civil ou militar) ou até mesmo, também, os demais cidadãos e cidadãs honestos, honrados, virtuosos, éticos e escrupulosos VOTAREM em corruptos é o mesmo, mutatis mutandis, que escolher ao beira-mar como presidente; já que eLLa disse e “acredita que todos nós somos corruPTos” e desonestos, ladrões, aéticos e sem escrúpulos! Enganou-se; cara pálida! Nenhum cidadão ou cidadã de BEM e, muito menos ainda, nós, os policiais civis e os briosos militares estaduais e os federais, não seremos cúmplices de sua quadrilha em forma de partido!
Quarto: vejam o desplante: aparece afagando uma criancinha; mas é favorável ao aborto! Que lindo; não! Ama demais às criancinhas desde seu nascimento, né?
Diz que é progressista e lutar pelos pobres e minorias, mas, ao contrário do dito, nada faz e mantém o cabresto famélico ou escravatura do cabresto estomacal com suas “BOLSAS”, e os têm como trabalhadores, daí ter reduzido aos índices de desemprego e do tal FOME ZERO, que nunca mais se falou nesses TREZE ANOS de “puder”!
TREZE LONGOS ANOS DE ÓBOLOS AOS BRASILEIROS CARENTES E NECESSITADOS DE SEUS DIREITOS À SAÚDE, EDUCAÇÃO, TRABALHO E EMPREGO DIGNOS, HOSPITAIS, MORADIAS, TRANSPORTES PÚBLICOS GRATUITOS E DE QUALIDADE, ESTRADAS PAVIMENTADAS E SEGURAS, PORTOS E AEROPORTOS, SEGURANÇA PÚBLICA, FAMÍLIA E LAZER, e eLLes investindo em Cuba, Bolívia, Venezuela, Uruguai, Paraguai, Argentina e outras tiranias mais por esse mundo afora!
Enfim, são TREZE ANOS, que prometem a transposição do São Francisco, que míngua e agoniza tanto quanto o pobre e sofredor nordestino, e, depois ele fala: “Por que tanto ódio(?) A Dilma não é nenhuma nordestina, ela é uma mulher decente e pessoa formada em economia, na Unicamp e.... blá, blá.” Pode até ser que seja mesmo mulher, mas decente nem formada não é mesmo; cara pálida!
Aliás, eLLe acha que o povo é tão ignorante quanto eLLe; enganou-se, cara barbada e barbuda e etilizada, mas, agora, da “zelite”: O POVO É SÁBIO, HONESTO E DIGNO TRALHADOR! NÃO SOMOS CORRUPTOS COMO VOCÊS OS FORAM, NO MENSALÃO, OS SÃO, AGORA, NO PETROLÃO, E OS SERÃO SE GANHAREM A REELEIÇÃO, para continuarem com a GENEROSA DOAÇÃO às outras nações amigas e falidas de ideologias fracassadas!
Fora petralhadas, não queremos ser e não seremos um BrásCU ou uma CUBrás!
Abr
*JG

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

O PASSADO, O PRESENTE E FUTURO DA NAÇÃO EM SUAS MÃOS!

Joilson Gouveia*
Eu sei que é democrático, mas a opção por corruPTos processados, julgados e condenados é incompreensível, intolerável, ininteligível e inaceitável sob todos os prismas, campos e aspectos; ou não?
Houve quem dissesse que discutir futebol ou política era mesma coisa e que cada uma tinha o seu time, sua cor e preferência; e não o é! Mas, não o é mesmo.
Os times ou equipes participam de um campeonato e ganham ou empatam ou perdem, onde há árbitros, auxiliares, regras e normas e alguns profissionais com seus princípios e valores éticos, morais e honestos e até preferências por suas cores e brasões de cada equipe, claro!
Na política não! Não mesmo, e nem pode e nem deve estar acima dos valores de um País, enquanto Pátria ou Nação ou povo e sociedade, mormente quando esse ou aquele “partido” se sobrepõe ou submete ou almeja submeter e subjugar nossa etnia, nacionalidade e brasilidade fazendo menoscabo, desdenhando ou espezinhando aos valores éticos, morais, honestidade, da moralidade, da probidade e, sobretudo, da legalidade e constitucionalidade e dos escrúpulos, que devem nortear todo e qualquer PARTIDO, pois sua ideologia e ideias e ideais hão de ser e de estar em consonância com os anseios e aspirações de seu povo, sobretudo, com o mínimo de respeito às leis e arcabouço jurídico que regulam a todas as Instituições.
Np time ou no jogo de um campeonato, se um atleta está irregular ou procede de modo antiético ou antidesportivo é punido quando não toda sua equipe ou até mesmo a torcida sofre as devidas sanções – sei que ainda há “torcedores” que querem ganhar o jogo até com gol de mão (e com isso se sentir vencedor ou campeão), pois sempre querem levar vantagens e “ vencer”... MAS, NO ÍNTIMO, SABE QUE NÃO O É E NEM NUNCA SERÁ!
Mas, na política e nos partidos e, sobretudo, dentre seus integrantes, não pode e nem deve ser assim, mormente, sobretudo, fundamentalmente, se provado que foi desonesto, ímprobo ou aético, amoral ou imoral e ilegal e ilícito – e, se o partido os encobre, os protege e os defende, é porque esse “partido” é uma instituição criminosa, como bem disse o humorista Gentille! Simples, claro e nem precisa desenhar!
É certo que todos merecem a defesa e o contraditório e a devida apuração regular da falta, mas, após a tudo isso, condenados e um partido sequer julgá-los e expurga-los de seus quadros, é acumpliciar-se e pautar-se de modo igual, semelhante e equânime ou até proceder de modo igual ou pior aos “desviadores” – ladrões, no popular – e nenhum partido pode e nem deve servir-lhes de valhacouto, sob as duras penas de se tornar numa quadrilha com intentos vis, aviltantes, espoliadores e, portanto, criminosos! Nenhum militante DEVE ser cúmplice disso, por mais ideologia que tenham. Não é honesto, nem moral e nem legal! Antes de ser militante és brasileiro, portanto, defenda à Nação! Defenda-se, enquanto cidadão honesto, probo e trabalhador, e respeite à sua família que muito a honras e se orgulha de a ela pertencer!
Ademais, os tais integrantes desses partidos e seus militantes, que pregam ou esbravejam ou bradam ser os paladinos protetores e defensores dos direitos humanos dos pobres desvalidos ou excluídos e minorias, mas destilam e fomentam e espalham ódio e segregação aos mais de dois terços da população brasileira: a classe média; sou classe média, também, alagoano e nordestino com o orgulho de Ariano Suassuna, portanto, sou brasileiro; não sou cubano e nem bolivarianoVejam ao vociferado pela intelectual musa deles, a tal Marilena Chauí.
Abro um parêntesis, já que tanto se “preocupam com os pobres, sua pobreza e sua miséria e suas condições humanas e dignas e dignidade deles”, há de se indagar: Por que mantê-los pelo cabresto famélico dos óbolos em forma de bolsas? Quem não se lembra do que dizia o ícone molusco sobre os “vales-gás” e “cestas-básicas” e “vale-leite”, que ele mesmo unificou e mudou para os tais BOLSAS? – que original e criativo, não?
Tem mais, muito mais! Usam-nos como se fora trabalhadores e empregados e funcionários ou integrantes da população ativa, economicamente e laboral! O que é um descalabro odioso e uma escamoteada e ludibriada realidade.
Computar os tais "bolsas" até quem tem lógica, né? Afinal, os 56 milhões de brasileiros que as recebem do governo - bem por isso “empregados dele” - até que trabalham, nas eleições, votando e mantendo os assaltantes do Erário e DOADORES de nossas riquezas, né?
Ledo, pueril e equivocado ou falaz e grosseiro engano, muito pelo contrário, nunca saíram dela, pois são mantidos a troco de "bolsas" e num verdadeiro curral eleitoral de votos famélicos ou estomacais ou escravos de óbolos de manutenção dos petralhas, que estão muito mais ricos em face dos ilícitos enriquecimentos dimanados de desvios, doações e maracutaias – estes sim, e os seus filhos, também, saíram da pobreza; duvidam? -, sob a égide do terrorismo odioso e enganoso de que se não votarem nos petralhas perderiam todas as "conquistas sociais" que nunca as tiveram conquanto mantidos em rédeas curtas, na miséria e na pobreza e atrelados ou acorrentados tal qual um militante, que não usa sua inteligência e consciência e até mesmo sua honestidade ou probidade, posto que subjugado e submetido à obediência do maior mandatário molusco e o maior vilão e mais esperto e o mais rico de todos EX presidentes da " istóradestipaís".
Enfim, esquecem que é DEVER do governante e não bonomia, benesses ou caridades PROTAGONIZAR, GARANTIR, ASSEGURAR e CONCEDER e DISPOR  a todos os seus cidadãos e cidadã a dignidade justa e igualitária de um trabalho ou emprego e todos os demais direitos sociais, trabalhistas, habitacionais, educacionais, saúde, saneamento, transportes, segurança e lazer, dentre outros contidos na nossa Carta Cidadã
O governo é para servir ao cidadão e não fazer de seus cidadãos e cidadãs seus SERVOS, LACAIOS e ou SÚDITOS.
CIDADANIA NÃO SE VENDE; NÃO SE TROCA E NEM SE SUBJUGA A NENHUMA IDEOLOGIA OU PARTIDO, e, no caso, a nenhuma quadrilha!
Simples assim ou será preciso desenhar?
Abr
JG

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

A ANUNCIADA CERTEZA DE UMA VITÓRIA ANTECIPADA (?)

Joilson Gouveia*

A certeza da "vitória" predita, anunciada, decantada  e até comemorada, antecipadamente, não se deve aos índices de desenvolvimentos sociais, econômicos, políticos, educacionais, trabalhistas, tributários, sanitários, securitários ou de seguridade, mobilidade, transportes e de infraestrutura ou humanos haja vista que, infelizmente e graças aos ditos “governantes” e, por conseguinte, aos ínfimos, pífios, irrisórios obtidos pelo Brasil nesses quase três lustro de desgoverno, desfalques, assaques e assaltos ou desvios  e generosas  doações de nosso Erário e de nossas riquezas, para a caterva vermelha mundo afora.
Entrementes, pari passu, percebe-se que há um uso escancarado da "máquina" estatal para seus fins, seja de seu mais de 39 (Por que não 40?) ministérios e inúmeras “agências reguladoras” – ou seriam agências roubadoras em face de tantos desvios? -, pois que nada regulam e a nada se prestam, salvo ao CABIDE ou ARMÁRIOS DE EMPREGOS ou empreguismo dos pelegos dos petralhistas de carteirinha, os quais somente BUSCAM TRABALHAR QUANDO CONDENADOS E PRESOS, e, ainda pagam aos seus advogados com “vaquinhas dos militantes” honestos, probos, éticos e inteligentes ou de doutos saberes (Será?), sem contar ao VOTO CABRESTO dos milhares de dependentes dos tais “Bolsas” isso, aquilo e aqueloutros e etc. – um cabresto socialista!
Duvido muito que o sejam, mas o dinheiro é deles; ou seria nosso, já que os auferem de nossos impostos?-, há notório uso indevido dos Correios e seus servidores, e, sobretudo, por estar assegurada uma ELEIÇÃO - SEM IMPRESSÃO DO VOTO, para eventual aferição, constatação, comprovação ou impugnação – comandada por quem os defendeu a vida inteirinha enquanto causídico que o foi. Aliás, nunca defendera uma tese ou TCC ou fora aprovado em concursos públicos, mas nomeado ao STF. Esse é o motivo ou a razão maior de cantarem a vitória antes do tempo; ou não?
A dita ou mal dita MÁ”mãe dos brasileiros” mais investiu noutras plagas vermelhas que no nosso imenso Brasil. Ou não?
Apenas, clamo, conclamo e INSTO aos meus amigos, amigas, parceiros e parceiras castrenses de Face ou não, e aos demais conhecidos dessa grande rede social, que, assim como na eleição passada, se juntem aos mais de 80 milhões de brasileiras e de brasileiros que nela não votaram, para que não votem nessa corja  de escroques salafrários vermelhos, que somente tem espoliado, assacado, assaltado e aviltado quando não DOADO nosso Erário e riquezas ao falido, ultrapassado, superado, arcaico e carcomido socialismo moribundo que vive de óbolos ou das pagas aos seus escravos-médicos mundo afora. Ou não?
E lembrem-se: “nós somos da Pátria a guarda; fiéis soldados por ela amados!
Abr

JG