sábado, 30 de novembro de 2013

“MORO ONDE NÃO MORA NINGUÉM”*


Joilson Gouveia*
O texto infra é um comentário postado na Gazetaweb.com.br, no blog do Bob, que é favorável a criação de polícias municipais, uma ideia ou proposta de emenda constitucional, a chamada PEC, defendida por um dos seus ícones PeTralhistasPATAS, mormente por aquele que ficou famoso como e com a cara-pintada, e depois, como quase todos os seus mensários, fez igual ou pior do que fazia e fez aquele que eles defenestraram do Poder.
Leiam, reflitam, avaliem e comentem, querendo, claro! Eis o que postamos lá, a saber:
Perfeito! Isso é que ilação racional e que inteligências brilhantes (por que ninguém nunca viu isso antes na estória “destepaiz”?) – é fundada em dedutivos intelectivos excepcionais; bingo! Eureka!
Deixando-se de lado a ideia de Estado ou até mesmo se acabando com a abstração estatal lindenberguiana ou bobiana ou PeTianas ou cheias bobices ou bobeirices mesmos, somente pelo fato de morarmos no município, infere-se, então, para que e por que continuarmos a pagar 27,5% de Impostos de Renda, além de outros tantos mais e, ainda, recolhemos 11% ao INSS, que pertencem à União, ou que ela “administra”?
Ora, moro no município, e não no estado – dando seguimento ao brilhante raciocínio bobista-petralhista – não moro no Brasil, e, portanto, se segue daí que não sou brasileiro.
Sendo assim, bem por isso se indaga: para que e por que PAGAR IMPOSTOS, TAXAS e CONSTRIBUIÇÕES numa carga tributária de mais de 47% de nossos suados, sofridos, sucateados salários ou subsídios sempre superados ou alcançados pela INFLAÇÃO? Sim, por ela sim, que tornou a assombrar aos brasileiros e às brasileiras, por enquanto encoberta, escamoteada e ludibriada pelo 10guvernos desses petralhistas mensários?
Por que devo pagar IPTU, ISS, ICMS e outros impostos e taxas ao Município se moro numa CASA de uma QUADRA qualquer e numa rua de um BAIRRO qualquer do município? - continuando com a “lógica” dos bobinhos, claro!
A cartilhazinha doutrinária do Sir Bob – The bobo ou El bobo* - que continua atual, em voga e a todo vapor: ora enaltece aos mensários como se heróis fossem; ora ataca as Instituições e põe em dúvidas as demais autoridades; ora enxovalha e denigre e humilha quase toda uma classe médica; ora critica as doutrinas, seitas e religiões e seus seguidores e etc.; ora distribui rasgados encômios aos médicos SEM REVALIDA, e enviados pela OPAS, mas sequer os envia para tratar dos seus ZÉRÓIS – os dois “Zés do Bobno xilindró da Papuda!
Abr
JG
P.S.: Carlos Enoch Barros, não é bem assim, simplesmente, como pensas, lá há muito mais que isso, sabias? Há polices or cops de CONDADOS - o que equivaleria a um DISTRITO ou mesmo um POVOADO, mas todos escolhidos e eleitos pelo povo, bem o o xerife, o juiz, o promotor, o prefeito, o secretário de Tesouro ou de Finanças e de Erário, etc., sem falar, também, que há polices ou cops, seja nos âmbitos municipais, estaduais, nacionais ou federais e etc.
Além dos Mariners U.S, eles tem suas guardas-costeiras, polices de parques florestais e de mananciais; a dos Correios, as Bancárias, as das Estações de tratamentos de águas e de esgotos, e olhe que nem citei F.B.I., C.I.A. E, também, de outros Departures of Polices end Investigation, há as de fronteiras e as de combate as drogas em níveis federal e estadual.
Queres saber mais sobre o tema, visite nosso blog, sim?

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

OUTRA VEZ A UNIFICAÇÃO DAS POLÍCIAS (ELES NÃO DESISTEM NUNCA!)

Joilson Gouveia*
O cerne nuclear ou crucial ou o grande busílis que se constitui no “Calcanhar de Aquiles da Ordem e Segurança Públicas”, que tem sido depreciada, desdenhada ou minada pelas nefandas ações de pools de empresas particulares ou privadas de segurança de dignitários, personalidades e valores ou residenciais ou condomínios, se funda não somente e somente só ou tão só na esdrúxula figura do delegado de polícia – vejam que queriam a exclusividade ou prerrogativa hegemônica, privilegiada, privativa, particular ou peculiar e pessoal para ele e de per si e só ele e somente ele INVESTIGARlembram-se da tal PEC/37?
Teria sido originada do então capitão-do-mato da província ou da grotesca figura do feitor da senzala, ainda nas sesmarias, que remonta ao Brasil do Império ou Colônia senão das Capitanias Hereditárias e seus arcaicos, obsoletos e anacrônicos INQUÉRITOS egressos da “Santa Inquisição, sobretudo, também, porque o delegado NÃO integra aos quadros institucionais dos demais agentes das demais corporações de Polícias Federal e das civis estaduais ou até mesmo das Polícias Técnicas ou Científicas nos estados-membros que delas dispõem. Outros atribuem sua origem ao extinto Juiz-de-paz. Ou seja NÃO SÃO POLICIAIS!
Ah! Inclusive, até “gozam” de odiosa isonomia com a carreira jurídicacomo se juízes, magistrados, procuradores ou promotores fossem -, mas com certa AUTONOMIA semelhante aos de PROMOTORES e JUÍZES quanto ao DEVER-FAZER de seu ofício. Ou seja, usam de uma discutível discricionariedade de se dedicarem ou não na elucidação de certos delitos haja vista que não é bastante a simples notitia criminis para movê-los ou tirá-los da inércia funcional eficiente e eficaz, bastam interpretarem aos textos infra citados, a saber:
Além desses outros editados, no sítio do Jus Navigandi, a saber:
A tal PEC/51 é a mais simples ou direta ou dissimulada, infensa e cínica tentativa de RETIRAR DA UNIÃO o DEVER, a OBRIGAÇÃO e a RESPONSABILIDADE pela DEFESA INTERNA, a ORDEM e a SEGURANÇA PÚBLICAS, passando-as aos Estados-membros e deixando ao livre alvedrio, talante e bel prazer de cada governador, seja ele democrata ou liberal ou tirano ou não, de UNIFICAR ou juntar àgua e óleo ou deixar como está ou até mesmo criar uma ÚNICA POLÍCIA ESTADUAL, acabando as duas e, também, pulverizá-las nos municípios de seu Estado ou seu FEUDO.
Havendo um Executivo que goste ORDEM e SEGURANÇA, e entenda ser uma PREMISSA ESTADUAL para seu povo, manterá ou melhorará sua ou suas polícias e, caso contrário, como o nosso atual, deixará o povo à míngua e à mercê dos bandidos, meliantes, assassinos, assaltantes, ladrões e traficantes.
Desde os idos de 1989 que metem o BICO e tentam DESCONSTITUCIONALIZAR ou DESMILITARIZAR ou ESTADUALIZAR a até mesmo MUNICIPALIZAR AS POLÍCIAS MILITARES sob o pífio, infundado, ignaro, incauto ou pueril pretexto de que elas foram criadas durante o Regime Militaros imbecis ou desconhecem ou se fazem desconhecer a própria História do Brasil – as briosas datam de tempos longevos, há quem diga que foi CRIADA em 1808, como a chegada da Família Real; outros referem às Capitanias Hereditárias; outros atribuem sua CRIAÇÃO ao Padre Regente Feijó, em dezembro de 1831.
De lembrar que sou favorável à desmilitarização da polícia cidadã, haja vista que se pode ser uniformizado, disciplinado, hierarquizado e, necessariamente, não ser militar. O adjetivo militar do substantivo policial só nos torna numa híbrida casta desprovida de direitos ou nos condiciona à subespécie humana ou à condição de cidadão de segunda categoria, dês que admitida absurda e odiosa hipótese de haver temerária taxionomia.
A guisa de ilustração: se há direito para o policial, este não alcança ao PM posto ser militar; ao reverso, quando o direito é ao militar(mormente aos federais que os são na essência, na forma, no dever e missão), afirmam que somos policiais.”
Fato é que tudo isso não passa de um ARDIL PERIGOSO E ENGANADOR – Vide mais aqui sobre o dito, a saber:
"Quem sabe - afirmam na reportagem – se unidas e com um sistema único, realizado pela Polícia estadual, se encontre um denominador comum para o combate a criminalidade". Triste colocação de um policial da estirpe do declarante. Pois, é notório e sabido que, para o combate à criminalidade mister se faz de melhor desempenho operacional e técnico-profissional, além de reequipamento e reaparelhamento, de material, instalações e armamento, aliados à remuneração justa e condigna aos que fazem a segurança pública com o sacrifício da própria vida
E, para se combater com eficiência e eficácia à criminalidade, a solução é organizar-se e cada órgão desempenhar, da melhor forma, o seu papel constitucional; pois, o crime está organizado, enquanto os aparelhos, que lhe devem opor resistência e combate sem trégua, estão minguando, sem viaturas, equipamentos, instalações e, o que é pior, com míseros salários de fome, a mercê dos corruptores e corruptos, integrantes dos poderes político e econômico.
Finalmente, resta-nos aguardar, com essas considerações, "que o legislador federal nos termos do Art. 144, §7.º da Constituição Federal, discipline a organização e funcionamento dos órgãos responsáveis pela segurança pública, de maneira a garantir a eficiência de suas atividades, evitando-se superposições de atribuições... Em prejuízo da segurança pública - in O Estado de São Paulo - 17 SET. 89 AIvaro Lazzarini. Tribunais: da Segurança Pública na Constituição Federal de 1988" Grifamos. É, pois, desse modo que poderemos dar a real e verdadeira "segurança pública" aos cidadãos que nos pagam para obtê-la; ou seja, é cada órgão ser responsável pela segurança pública, que deve bem desempenhar seu papel missional. E, pronto, o "Estado de Segurança" surgirá eventual e naturalmente, sem mistérios nem projetos enganadores.
Cumpramos, pois, nossa missão constitucional, mesmo com os irrisórios vencimentos.
Enfim, o tal de FHC tentou CRIAR um PISO NACIONAL, para os policiais civis e militares; depois usaram a ideia e transformaram em PEC/300, que foi usada como ENGODO, amplamente, para ELEIÇÃO da atual presidenta – como gosta de se autodenominar – que somente serviu para sua ELEIÇÃO. Ganhou, e calou! Abafou!
Agora, querem exumar a PEC/51, pois a PEC/300, de nada serve mais?
Leiam sobre o “Ouro de tolo – com banana e bolo se engana um bando de tolos” em http://www.alagoas24horas.com.br/conteudo/?vEditoria=Artigos&vCod=81221 atentem à data!
Abr
*JG

De novo esse tema: UNIFICAÇÃO!*

Joilson Gouveia*
Certamente que se assevera, inteligentemente, que "Não sei se vai melhorar" (Sic.), mas se nutre uma esperança pelo desconhecido, para não dizer incerto. Tudo bem, "gustibus et coloribus non se disputatus" - Gosto e cor não se discute! Nem se deve discutir o sexo dos anjos!
Em verdade, nossa atividade nada deve ter com o militarismo conquanto e enquanto polícias (alcunhadas de militares), mas a panacéia zulaiesca da unificação em nada modifica ou modificará ao status quo, haja vista que UNIDAS terão segmentos fardados para fazer o que já se faz: polícia ostensiva, essencialmente fardada ou uniformizada, sob pena de não sê-la; um outro segmento à paisana para se tentar fazer aquilo que não se faz: investigações técnico-científica, criminal e inteligente, bem como a captura, prisão e cumprimento de mandados de prisão e ordens judiciais, e de processos que dormitam nas prateleiras e escrivaninhas das delegacias e do judiciário lento, elitista e esnobe desse imenso e pobre País.
Doutro lado, de certo modo, desmilitarizar e cortar vínculos com as eficientes e eficazes forças armadas é avanço considerado, convenhamos. Mas unificar com um segmento do jaez de uma categoria historicamente sempre avessa ao dever ético de bem prestar serviços (salvo raríssimas exceções) à comunidade sem cobrar um "por fora" - vejam que muitos policiais civis detêm um patrimônio de causar espécie, malgrado seus parcos e irrisórios salários. Como conseguem isso?
Ademais, muito se alardeou que deveria haver uma UNIFICAÇÃO do piso salarial das polícias, no entanto...
Ignoram muitos colegas que os PC não juntam os cascos para falarem aos seus chefes, até que é verdade. Mas nem por isso são respeitados como deveriam ser pelos seus dignos chefes ou "delegas", ou serão?estes, em sua imensa maioria, os têm como escória, ou não! Coisa impossível de se ver na briosa enquanto oficiais e praças haja vista que o dever de cumprimento é bilateral, recíproco e mútuo, ou não!?
Se a questão da segurança pública nesse País passasse apenas pela unificação até que seríamos acordes com ela, afinal independerá de quem a comande se for melhorar a segurança da população e, principalmente, dos seus bravos policiais. Todavia, certamente, não é apenas e só isso...
Aliás, reafirmo que de nada adiantará modificar nomenclaturas e/ou uniformes ou formas de emprego e de ação, mormente enquanto nossas imensas fronteiras, centenas de portos, aeroportos e campos de pousos desguarnecidos, desprotegidos, e porque não dizer despoliciados e sem fiscalização alguma e, sobretudo, nossa imensurável costa continental estiverem à mercê dos mesmos tenazes, persistentes e sorrateiros contrabandistas, narcotraficantes, traficantes de armas e uns ditos cidadãos detiverem mais privilégios e prerrogativas que os demais comuns mortais, ou não!?
Digo mais: enquanto a im(P)unidade campear galopante e ilimitada nessa Nação a UNIFICAÇÃO nunca será a solução!
Todavia, nosso país tem dimensões continentais e nem sempre o que é bom para uma certa região o é para outra, pois nem todos gostam de vatapá ou pato no tucupi, ou não?
Se estão querendo fundi-las, por que não as federalizam e as tornam todas numa única polícia nacional? Já que se alardeia tanto que a unificação é a solução. Se a unificação é solução, então sejamos unos, únicos e indivisíveis numa única força policial nacional, de norte a sul e de leste a oeste, para que possamos guarnecer nossas infindáveis fronteiras e imenso litoral e infinito espaço aéreo.
Aliás, querem unificar tudo menos nossos parcos e irrisórios salários, ou não? E tudo isso começou depois do caso da linha 174, no RJ. Essa unificação é fruto de um pernejamento elaborado por pessoas alheias ao mister segurança pública, lembram?
Entrementes, ao meu ver, a solução é criar mais e mais polícias, à guisa de sugestão e exemplificação: portuária; alfandegária; aduaneira e/ou fiscal e financeira; bancária; carcerária, presidiária ou penitenciária, para as cadeias, presídios e penitenciárias desse imenso Brasil, seja federal ou estadual; dos correios; metroviária; ferroviária; marítima, litorânea e/ou costeira; hidroviária, fluvial e lacustre e, também, das hidrelétricas e usinas de energia; aeroportuária; de fronteiras – em cada estado-membro com limite internacional; ecológica e/ou ambiental, sanitária e de saúde pública; legislativa – nas três esferas; judiciária, técnico-investigativa pericial (laboratorial, legal e científica) etc. Ou não?
Abraços.
Joilson Gouveia Cel PMAL
*Escrito em 24JUL2003 e reescrito 01ABR2005, EDITADO HOJE – a coisa é cíclica e teimosa, recalcitrante, tenaz e insistentemente desgastante ou abusiva - “eles não desistem nunca” - cambada de vermelhos petralhistas!

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Genuinamente frustrado com a verdade do diagnóstico!

Joilson Gouveia*
Como frustrar? O que esperas? Benesses, bonomia, benevolência, complacência ou condescendência com o delator e mensário? Oxalá! Comutação, remição ou indulto e perdão natalinos? Ah! Talvez quisesses um atestado falso para corroborar com intento insano do postulante loquaz ou mendaz, para assegurar e conceder suas graçolas e sinecuras permanentes através de “aposentadoria” por INVALIDEZ?
Bob, meu Bob meu, meu Bob* - não vou repetir o significado do asterisco, não!
The Bob – El bobo -, será que não percebes que a mentira, a falsidade, a simulação, a desfaçatez e os engodos e ardis são seus simulacros escamoteados e ludibriadores deles, dos mensários e de todos os séquitos comunas e súcia matulas, é sempre contumaz e uma constante e somente os esquerdistasPATAS e demais PeTralhistasPATAS e todos os mensários insistem em NÃO QUERER VER o que são: falsários vigaristas de primeiríssima qualidade ou grandezase é que se pode atribuir qualitativo ou aumentativo em depreciadaqualidadeou falta de caráter do covarde delator e desviador de Erário.
Cerquem-nos, os dois “Zés”róis seus”, daqueles médicos samaritanos, voluntários e bondosos egressos de CUBA e enviados pela OPAS, que tal, hein?
Bob, meu bobo Bob... Somente por acaso já mensurastes que o quantum desviado pelos mensários o quanto que teríamos de nosocômios novos ou reformados ou UPA ou prontos-socorros construídos e equipados e repletos de medicamentos em cada município brasileiro?
Calcule, avalie, mensure, reflita e informe aos seus leitores! É muito melhor do que fazer apologias aos seus pseudo-heróis! Ou não?
Abr
JG
*Postado na Gazetaweb.com, no blog do Bob – The bobo ou El bobo.
Post II - Joilson Gouveia Bel&Cel RR 28. nov, 2013 às 1:02
      Nenhum brasileiro de sã consciência nutriria algum sentimento aos PeTralhistas mensários que não fosse ojeriza ou vergonha ou mesmo frustração ou decepção em ver e saber que os “inocentes” do citado partido, ao invés de se limpar e se livrar de sua escória ou banda podre, TENTA encobrir, negar ou mesmo DEFENDER ao indefensável ou injustificável ou intolerável e, portanto, inaceitável que queiram SALVAR ou tornar-lhes VÍTIMAS ou HERÓIS, todos esses mensários miseráveis, abomináveis e condenáveis, sob todos os aspectos!
      Expurguem as ervas daninhas se ainda querem ser chamados de partidos haja vista assemelharem-se a verdadeiras quadrilhas!
      Raiva, ira, cólera ou quaisquer outros sentimentos que agastem ou ulcerem ou desequilibrem não é digno sentir por esses bandidos de colarinhos vermelhos!
      Abr
      JG









GATO ESCALDADO TEME ÁGUA FRIA! - E agora, Zé?

Joilson Gouveia*
Bob, meu caro Bob! * não vou repetir aquilo tudo; mas o asterisco o faz lembrar!
Somente dois tipos de pessoas visitam aos bandidos condenados e presos no xilindró pelos tipos de crimes que cometeram, mormente do tipo ou dessa qualidade, estirpe, jaez, naipe e valor - que, aliás, queres torná-los em "heróis da resistência"!
Ou seja, tentas santificar ou vitimizar ou enaltecer ao tipo mais vil, cínico e escamoteado que há: esses mensários! E que são os mais vis de todos os mais vis das canalhas da ladroagem e da bandidagem, pois dissimulados em impolutos, impávidos e incólumes COLARINHOS BRANCOS e, portanto, aparentemente, acima de quaisquer suspeitas: os chamados de excelências!
Pois bem, somente seus parentes próximos (esposa, mulher, cônjuge, amante ou suas amásias – ainda que estas não sejam – os filhos ou seus pais, mesmo que envergonhados - se é que algum dia tiveram vergonha na cara - ou os pastores e padres, para consolar suas ovelhinhas "desgarradas"!)
Outros que não aqueles que os visitam não são militantes, não, são seus comensais e seus comparsas ou quadrilheiros senão parentes*, pastores e padres!
Militantes partidários se honestos, ilibados, probos, sérios e diligentes fossem estariam fazendo de tudo para expurgá-los de seu partido, para não contaminar e nem apodrecer as demais laranjas! – sem segundas ou más intenções ou trocadilhos ou insinuações quanto aos laranjas, claro.
Ah! E como tem laranjas nesse cesto ou nesse balaio de gatos vermelhos, né não, hein Bob?
O molusco não vai visitar seu amigão ou seu “cumpanhêro” ou amicíssimo por razões óbvias, claras e por que não dizer bastante ULULANTES – e sem trocadilhos : “não sabe; não sabia; não via e não ouvia e nem desconfiava do que acontecia – ou se aconteceu – ele até disse que: “essa coisa de mensalão não era preocupação do povão e que o povão nem tava aí para esse mensalão; num sabi?”- Vai ver que ele nem sabe mesmo, né Bob?
Abr
JG
* Postado no Blog do Bob – The bobo or El bobo – sobre a reclamação do zé contra seu molusco preferido.









quarta-feira, 27 de novembro de 2013

GRATUITIDADE OU GRATUIDADE DE EXERCÍCIO DE CARGOS PÚBLICOS DE CONSELHOS E CONSELHEIROS OU COMISSIONADOS OU DE CONFIANÇA PELOS “DO BEM” (?)

Joilson Gouveia*
Eis que práxis, pois, os nossos textos emergem de comentários postados noutros renomados blogs e de websites jornalísticos ou webjornais caetés de grande circulação ou famosidades e, no mais da vez, sequer editados os nossos posts, daí procuramos editá-los aqui em nosso humilde, singelo e simples Blog – não foi o caso deste, especificamente, que até fora editado lá quando postado; senão vejamos, a saber:
POST I:
Dileto literata do noticiário caetés e também tupiniquins – claro!, Ricardo Mota, até pode parecer picardia, teimosia e renitência ou por que gosto de polemicar, mas é somente pela VERDADE verdadeira, verossímil, real, transparente e clara como a luz do astro-rei!
Que não faça graças (e não faz mesmo nenhuma - até por que não tem mesmo nenhuma graça um Órgão ou Conselho fazer uso indevido ou abusar, abusiva, arbitrária, ilegal e inconstitucionalmente de “prerrogativas” ou benesses e usurpar funções e até compelir determinados servidores a exercer cargos para os quais sequer foram concursados ou admitidos ou nomeados), mas de graça não é mesmo – e já dissemos antes e até desafiamos; lembras?
Ah! Eis aqui o que pesquei de um leitor num website concorrente deste TNH1, a saber:
“Lucas JÁ QUE O ASSUNTO É DESVIO DE FUNÇÃO, então vamos lá: Inciso I, Parágrafo único do Art. 95 da Constituição Federal: AOS JUÍZES É VEDADO: I - EXERCER, AINDA QUE EM DISPONIBILIDADE, OUTRO CARGO OU FUNÇÃO, SALVO UMA DE MAGISTÉRIO. Inciso II do Art. 36 da LEI COMPLEMENTAR Nº 35, DE 14 DE MARÇO DE 1979 (Lei Orgânica da Magistratura Nacional): É VEDADO AO MAGISTRADO: EXERCER CARGO DE DIREÇÃO ou técnico de sociedade civil, associação ou fundação, DE QUALQUER NATUREZA OU FINALIDADE, SALVO DE ASSOCIAÇÃO DE CLASSE, E SEM REMUNERAÇÃO. O que o Maurício Breda tá fazendo no CONSEG? Ele é impedido por dispositivo da própria Constituição da República, e aponta defeitos nos outros? Só aqui em Alagoas. ACORDA MP! ACORDA MEU POVO. CNJ PRECISA SABER. Em 26/11/2013”
MAIS: Eis aqui os textos de dois comentários enviados e postados no seu Blog sobre o CONSEG e sua a gratuidade inexistenteele é de 2011, onde provamos que os cargos comissionado do CONSEG não são gratuitos, a saber:
1) TNH – R Mota:
“Em verdade, preclaro R Mota, é preciso lembrar que o referido Conseg sequer elaborou ou aprovou algum projeto, plano ou ação efetiva desde sua criação, salvo a sua HIPERMEGASUPERCorregedoria - que olvida que as demais Instituições que integram a SEDS possuem-nas.
Ademais, a mega REFORMA de 5 milhões, ou seja a LD 43 gerou a LD 44/10 c/ CTRL+C e CTRL+V, pois troca seis por meia-dúzia e torna ao que fora outrora: SUPERINTENDÊNCIA; dos Presídios São Leonardo, Santa Luzia e Manicômio Judiciário – havia uma Colônia Penal Santa-Fé, que sumiu do mapa e ninguém explica como – Voltam as EX sub-delegacias, q os DH acabaram.
A terahipermegasuper REFORMA, Lei Delegada 44/10* - uma reedição da LD 43/07, c/ os mesmos erros técnicos e equívocos crassos estruturais e orgânicos, mas majorando os comissionados em NÚMERO de CARGOS e do VALOR dos $UB$ÍDIOS, que não são limitados pela LRF, e há previsão de REMUNERAÇÃO pros membros do CONSEG SIM, leiam a LD44/10.
Olhem a LD44/10 em seu Art. 73 c/c Anexo III:
  • CONS EST DE SEGURANÇA PÚBLICA: DIR GTR-4 01 R$ 3.000,00 - ASS TÉC AS-3 01 R$ 1.000,00 - ASS TÉC AS-3 05 R$ 1.000,00 - FUN GRATIFICADA FG-1 05 R$ 350,00-TOTAL 12.
  • FUNDO EST DE SEG PÚBLICA:ASS ESPECIAL ASE-2 03 R$ 3.000,00-TOTAL 03. 15 cargos ao custo de R$ 139.750,00 anual, para nada ou quase nada. Ou não?
Reúnem-se, quatro ou cinco vezes ao mês, segundo seu próprio presidente, mas auferem mensalmente ou somente se houver tais reuniões, expliquem-se!
Efetivamente, qual ou quais os benefícios, para os alagoanos em termos de SEGURANÇA PÚBLICA, provindos do CONSEG, cite-os, sim?
Aliás, leiam a LD44/10 e me digam quantos CONSELHOS foram "criados" e quais seus custos-benefícios?
Como entender a CRIAÇÃO de órgãos SEM pessoal efetivo, qualificado e habilitado para COMPOR e INTEGRAR tais ÓRGÃOS?
"Tudo como dantes no quartel de Abrantes".
Somos uma ARISTODEMOCRACIA OU ARISTODEMOCRATURA?
Respondam-me, sim?”
2) Amigo R.Mota, há quantos CONSELHOS e conselheiros nesse Estado, “criados” pela Lei Delegada 44/2011? Ah! Sem contar os incontáveis, incomputáveis e “imprecisáveis” – não imprestáveis, falo de não ser PRECISO e nem exato seu quantitativo – de cargos comissionados, mais que um exército - premissa deste “10governo” que ai está...
Nada contra as pessoas de boa vontade que se integram a este ou aquele conselho, mas sem POLÍTICA, PROGRAMA, DIRETRIZ, PROJETO, PLANO, OPERAÇÃO, AÇÃO e etc. em nada funciona, nem mexe, nem anda, nem se move e nem sai do lugar. Olhe o tal de "AL tem pressa", a pressa é tanta que nem anda e nem chega a lugar nenhum, ou não?
Há mesmo um PLANO de ordem e segurança PÚBLICAS, nesse nosso Estado? Se há, qual a efetiva participação do CONSEG e o que conseguiu ELES (Plano e CONSEG), sem trocadilhos, claro?
O vice-rei vociferou: "Alagoas não precisa de mais policiais", lembras? E somos HEXA em violência.
Enfim, quais custos/benefícios com todos esses CONSELHOS e seus respectivos conselheiros e comissionados de confiança e SEM ela, bem como do tal PLANO de Insegurança pública?
Ah! A propósito, temos mais de SEISCENTOS E OITENTA E CINCO ASSASSINATOS, SENDO CENTO E TRINTA E UM nesses vinte dias de Abril, sabias?
Aliás, nem se contam os assaltos, roubos, furtos, latrocínios, saidinhas de banco, sequestro, estupros e DESAPARECIDOS – COMO DESPARECE GENTE NESSE ESTADO, NOTOU? –
Olhe o caso do DEIC, o que diz o CONSEG – ou não é assunto dele?
Abr
JG
PS: fora disso, é como o amigo disse: “Discursos e hipocrisia não rimam nem são solução.”
Disseram, atual e recentemente, que as reuniões seriam semanais e com o todo azul e poderoso “olvidador-geral” de leis e constituições; lembram-se?
Ah! Por favor, leias aqui sim, e INSTO aos seus demais leitores, também, espero que sim, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/11/o-conseg-nao-consegue-ou-consegue.html
*Errata: a Lei Delegada 44 é de 08 de abri de 2011, e não de 2010!
Abr
JG
P.S.: nem tanto ao céu e nem tanto ao mar; mas se conselho fosse bom, ahhhhhhhhhhhhhhhh! Alagoas seria um paraíso!
Post II: O leitor alcunhado ou cognominado ou grafado de Gregório de Matos parece não saber que o caso citado no último parágrafo de seus nada lúcidos, procedentes ou verossímeis comentários quem "decidiu" foi o próprio Órgão que enaltece - para mim fora de suas atribuições, claro! Mas, como já se disse e reiterado: espezinham tudo aqui nestas plagas caetés!
Outra coisa: desde muito antes de 1988, meu dileto "boca do inferno" maldito, que há concursos públicos para INGRESSO e/ou INCORPORAÇÃO nas briosas, sabias?
Salvo o período sombrio, nebuloso, sinistro, soturno e deveras enigmático dos idos iniciais ou primordiais da década de noventa!
Abr
JG
POST III: Para a narrativa do leitor denominado ou aqui identificado de Saulo Mendes ter credibilidade ou respaldo em fatos sobre as polícias de outrora é preciso que ele tenha participado como assíduo comensal das referidas comilanças sobre a qual diz que alude aos primeiros. Enfim, ou ele comia também dela ou era dos que deixavam as sobras!
Ao que se nos antolha, de soslaio ou em relance e de suas assertivas um tanto quanto revanchistas e rançosas ou de defesa de CONSELHOS - apenas sessenta e de incontáveis conselheiros e de comissionados e de cargos em comissão e de confiança dos DO BEM - ele deve ser uma desses atuais comensais CRIADOS pela Lei Delegada, que estuprou a Administração Caetés e arraigado nas tetas e nas suas benesses!
Ah! Leiam aos comentários postados acima e em nosso Blog, senhores arautos DO BEM!
Abr
JG
POST IV: Ao leitor Sylvio De Bonis Almeida Simões, permita-me um aparte, sim? Por obséquio, leia ao postado supra e verás que os integrantes ou membros do referido fazem JUS aos estipêndios pecuniários previsto em lei - salvo abdicaram deles - o que não é caso.
Na Administração Pública inexiste cargo gratuito ou sem bônus; se há ônus há bônus! ;)
Abr
JG
Em tempo, transcrevo aqui parte de nosso texto sobre Neótipo Soldado Voluntário - uma excrescência jurídica do desgoverno anterior ao atual, a saber:
Consabido que, na Administração Pública, inexiste cargo gratuito e exercício de cargo ou desempenho de função não remunerada. Se há ônus há bônus. Sempre arrimado nos estudos do mestre Diógenes Gasparini, que leciona:
“A regra, portanto, é a retribuição (Art.7º, IV, VI e VII, da CF/1988), aplicável aos servidores em geral, e a legislação infraconstitucional, como é o caso da Lei do Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e fundações públicas (Art. 4º da Lei federal nº 8112/90), que veda a prestação de serviços gratuitos, salvo nos casos previstos em lei. Assim, podem existir prestadores de serviços (os requisitados) ou exercentes de funções honoríficas que não são retribuídos pelos correspondentes serviços que desempenham.”1 – SERIA O CASO?



















































terça-feira, 26 de novembro de 2013

*O CONSEG não consegue ou consegue - consegue?

Joilson Gouveia*
De certa forma, o leitor "curioso" e o alcunhado de “Sgt Braz” já disseram tudo!
Entrementes, sempre julguei que o exponencial, renomado, douto e competente CONSEG, que integrado e constituído por ilustres, insignes e doutos ou notórios, ilibados e personagens de destacada conduta e de notáveis conhecimentos jurídicos, legais e, porque não dizer, também, institucionais, traçasse, preocupasse ou delineasse quais as melhores ou mais adequadas políticas, programas, planos, estratégias, diretrizes e ou ações e operações, para o efetivo controle, a eficiente redução ou a real minimização da exacerbada, galopante e descontrolada violência que assola Alagoas e aflige, aterroriza, amedronta e mata os alagoanos e, também, turistas.
Entretanto, no mais da vez, se tem visto agastar-se ou desgastar-se ou dedicar-se às questiúnculas ou de casos de somenos importância ou de valor ínfimo, irrisório ou digamos inferiores ou subalternos conquanto se referirem a assuntos interna corporis e da alçada dos respectivos Comandantes e/ou de seus Chefes de Assessorias Militares dos citados Poderes, Órgãos, Organizações e Instituições, os chamados Poderes Constituídos, e todos previstos no Art. 67, da CE/89, e demais legislações Estaduais, estatutárias e peculiares das Corporações Caetés.
Saibam todos, nenhum brioso se escala de per si e/ou por seu livre nuto, alvedrio e talante ou escolhe ao seu bel prazer, preferência ou desejo, saibam que o seu serviço decorre de um Plano ou NGA e de O.Sv. sempre fundadas em OPO’s ou, também, nas chamadas Ordens de Operações ou NS e NI, adrede, antecipada e previamente firmadas, nem muito menos se autoindica ou se autoescala ou se autonomeia ou se autoexecuta consoantes seus gostos; não! Não somos uns bandos e nem as nefastas, ilegais e sinistras milícias milicianas. Todos devem agir em continência aos auspícios de comandos, diretrizes, determinações e ordens de chefes, diretores e comandantes, meus senhores!
Visitem e “conheçam e saibam quantos são, onde estão, como estão e o que são os “nossos quartéis” – se é que se pode chamar de aos que existem e que não são das briosas -, instalações, alojamentos e ranchos das Corporações, nem mesmo o QCG pertence à Corporação, supervisione, fiscalize, coordene e controle de nossas UOps - Unidades Operacionais e seu material bélico e operacional sucateado, obsoleto e superado... – Viaturas? Preferiram terceirizar a custo nada razoável, sobretudo ineficiente, ineficaz e caro demais.
Efetivo? Sem falar no ínfimo, escasso, diminuto, mínimo e reduzidíssimo efetivo de briosos e, por conseguinte, do ABSENTEÍSMO CRIMINOSO OMISSIVO DO ESTADO, in caso, também, deles mesmo que integram ao Governo!
O que tem obrigado aos briosos serem escravizados mediante escalas abusivas, arbitrárias, excessivas e desumanas ou ilegais e inconstitucionais horas-extras – há escalas extras, mas NÃO PAGAM suas horas-extras devidas; pode?
Ah! E os nossos REAJUSTES ANUAIS e o acordado em 2007, sempre olvidado por quem prometeu CUMPRIR e HONRAR etc.? Estes, dentre outros tantos, são todos assuntos pertinentes ao CONSEG, dentre outros mais (os gastos exorbitantes com aeronaves, voos e passeios; os mais de DUZENTOS MILHÕES gastos no plano (?) - que plano?, mas...
O calcanhar de Aquiles, a premissa, a prioridade ou preocupação maior do CONSEG, bem como dos demais SESSENTA CONSELHOS e de inumeráveis, imensuráveis e incontáveis conselheiros, seria o tal PLANO (aquele do estardalhaço espalhafatoso midiático para inglês ver e que já dissemos que não existe! Ou quem sabe TENTAR FAZER UMjá que inexiste plano – como fora anunciado, dito, propalado e divulgado, agora, ontem mesmo - em fins de junho de 2013). Mais: até disseram que as reuniões seriam semanais! Tsc. Tsc. Tsc.!
Compeliu compulsoriamente médicos castrenses ao exercício de atribuições, funções e cargos aos quais não foram concursados e, portanto, nomeados; era apor apenas NOVENTA DIAS e virou aquela lâmina que excede aos números de barbear; lembram?
Quase conseguiram afastar os briosos dos eventos esportivos privados ou particulares de certos empresários pessoais do ramo desportivo e futebolísticos, mas...
Enfim, no Brasil, nada é provisório ou temporário, pois sempre se torna PERMANENTE ou ETERNAMENTE PERENE!
Desdenham direitos estatutários e contidos em leis adjetivas e substantivas castrenses e, o que é pior e muito mais grave: espezinham e fazem menoscabo das Constituições Federal e Estadual. O castrense SEM condenação NÃO DEVE ser recluso em PRESÍDIOS ou PENITENCIÁRIAS – o quartel serve-lhe de menagem. É Lei e Direito seu!
A corda sempre arrebenta no lado mais fraco!
Abr
JG
* Postado na gazetaweb.com, mas nem sempre editado, daí ousamos em postar em nosso singelo Blog!

Ministro Joaquim – esse é o cara; sim!

  • Joilson Gouveia*
    Todo lalau quer tratamento igual, seja ele estadual ou nacional!
  • Primeiro foi aquele do Tribunal, que “desviou” verbas do Erário e do TRT, enganou a todos, a mim e a você!
  • Agora, este que foi presidente de um ParTido nacional, que combatia – pelo menos dizia – a corrupção, mas fez igual ao Lalau ou muito pior que ladrão; meu irmão!
  • O do tribunal foi “preso no lar”; nada devolveu e ainda tem segurança federal residencial!
  • Este outro até simulou problema no coração, para sair da prisãoao entrar ergueu braço e fechou a mão! Fazendo gesto ou pose de campeão! Vê se pode meu irmão?
  • Todo ladrão é assim; é feito corno e cheio de “pantins”! Eh ruim, hein!
  • Esse não contava com o Joaquim, que dizem que é muito ruim – para os ladrões de colarinho branco! – porque para o povo ele é o CARA, SIM!
  • Ele foi capaz de trancafiar aos mensários – esses vilipendiadores, espoliadores, fraudadores e com desfalques e falsidades -, todos os “desviadores” do Erário!
  • Por isso falo, digo e grito assim: vivas ao Joaquim! Esse é o CARA, sim!
  • Ele honra seu cargo, que ocupa com a altivez que merece e, também, a toga que veste, esse é um “cabra-da-peste” - com se diz aqui no Nordeste!
  • Esse nos deixa feliz com atitudes probas, corretas, justas e dignas de um verdadeiro Juiz!
  • Nesse eu creio, me fio, sigo e acredito – e tenho dito!
  • E tem muito mais, depois dessas prisões e multas, ainda virá o confisco – dos “bens” dos Mefistófeles*!
  • E de tudo que foi “adquirido” como fruto indevido e nos desvios envolvidos!
  • Ladrões do erário, os mensários, embolsaram o combalido dinheiro do povo pobre e sofrido!
  • Bem por isso, nos faltam Transportes Públicos, Saneamento Básico, Saúde, Educação e, sobretudo, Segurança e Ordem Públicas, por isso os mandou todos para a PAPUDA!
  • Onde deveria também estar aquele tal “Arruda” e toda essa GENTE “rabuda**.
  • Abr
  • JG
*homens maus, muito maus!
** pessoas rabudas – aquelas que tem rabos presos ou sujos ou escondidos

Os “zéróis” do arauto The Bob–El bobo!

Joilson Gouveia*
Insto aos leitores do arauto uma detida ou mesmo olhadela ou soslaio ao dicionário sobre o termo ou locução ou palavra HERÓI* e aqui usada subliminarmente ou equivocadamente ou ludibriada ou escamoteada e sutilmente empregada pelo The Bob – El bobo – o pregoeiro-mor e ferrenho tenaz arauto de carteirinha róseo-comuna e da caterva rubra ou encarnada marxista-leninista, sobretudo, castrista-dilmista-lulista-molusquistas e outros bolivaristasPATAS ou esquerdistasPATAS, a saber:
  • *he·rói (latim heros, -ois) substantivo masculino
  • 1. Pessoa de grande coragem ou autora de grandes feitos. = VALENTE ≠ .COVARDE, MEDROSO
  • 2. [Mitologia]   [Mitologia]  Personagem nascida de um ser divino e de outro mortal. = SEMIDEUS
  • 3. Personagem principal. = PROTAGONISTA
  • 4. Pessoa ou personagem de ficção que tem atributos físicos ou morais muito positivos. ≠ ANTI-HERÓI
  • 5. Pessoa que provoca admiração. = ÍDOLO
  • 6. Pessoa que é o centro das atenções (ex.: ele foi o herói do jantar).
  • 7. [Depreciativo]   [Depreciativo]  Pessoa que se destaca pelo seu proceder escandaloso ou .incorreto.
  • Feminino: heroína.
  • "herói", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/herói [consultado em 26-11-2013].
Olhem, notem e percebam que a locução supra somente seria viável e apropriada ou inerente aos ditos cujos “zés’’ no item 7, esta referência sim, é compatível aos dois “heróis” citadosreitere-se, para convencimento induvidoso, somente e tão-só aos dois “zés” o número sete acima se adequa bastante e suficientemente caindo-lhes como umas luvas, ou não? Leiam e comparem com o próprio texto ditado pelo arauto Bob, The bobo!
É, pois, mais que cabível aos dois “zés”, sobretudo, no seu significativo depreciativo, degradante e desgastante ou que denigre ou que tem demérito ou despojado de valor algum ou nenhum – que é o caso aos zés citados – ou, enfim, tivesse ele usando de sagaz ironia, satírica ou astuta ou de seu lado saturno e sinistro e enigmático enquanto profissional da informação ou induzindo seus leitores aos erros, equívocos ou dúvidas sobre tais “zés” – espertíssimos sagazes mensários condenados que teimam, insistem e não desistem NUNCA em querer driblar as garras da Justiça!
Leiam e concluam os senhores leitores!
Abr
JG




segunda-feira, 25 de novembro de 2013

AO CIDADÃO JÁ HÁ PENA DE MORTE E SEM DÓ NEM PIEDADE!

Joilson Gouveia*
Repita-se: AO CIDADÃO JÁ HÁ PENA DE MORTE E SEM DÓ NEM PIEDADE: seja no campo ou na cidade dentro ou fora de casa!
Fôssemos nós uma república democrática, mas com uma democracia séria, verdadeira, real e, de fato e na prática, governadapelo POVO que detém o PODER: “todo poder emana do povo e em seu nome será exercido” – ver o Parágrafo Único do Art.1º, da CF/88, a saber, litteris: “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição”.
A alternativa ou diretamente, se verificará ou ocorrerá sempre mediante manifesto claro do seu POVO, através de plebiscito ou referendo ou mesmo o povo apresentando anteprojetos-de-lei para que se faça VALER SUA VONTADEA vontade de seu POVO.
Aliás, outras pesquisas interativas e, portanto, ON LINE e de outros webjornais caetés e nacionais, apontaram percentuais favoráveis, em até 96%, mormente sobre a almejada, desejada, querida, clamada e instada REDUÇÃO da MAIORIDADE PENAL, para todo aquele que deixar de ser CRIANÇA e delinquir, sobretudo, quando praticar os chamados CRIMES HEDIONDOS - mas esse "governo" olvida aos clamores das ruas e do seu povo.
Neste caso, sobre a pena capital - aqui citada, posta e retratada pelo maior seguidor da doutrina esquerditaPATA e arauto e pregoeiro primeiro e MAIOR do lulismo-dilmismo-fidelismo-cubano-castrista, o grandiloquente mister The Bob, que nem é bob e nem se faz de boboaduz um percentual de 86% de manifestação de vontade do povo, mas tanto aquela pesquisa de vontade do povo quanto esta são e estão olvidadas, desdenhadas e desprezadas ou espezinhadas pelos atuais “governantes” – representantes (eleitos) do povo.
Por quais razões não respeitam as vontades do seu POVO? Ou o povo não tem poder nenhum haja vista ser o referido parágrafo um belo texto literário, para lograr ao POVO ou nenhuma valia tem suas vontades! Ou o povo é tremendo imbecil, idiota e néscio ou ignaro e analfabeto político e de conhecimento total de seus direitos.
Ou seria, enfim, decerto, talvez ou por temer ou por precaução de aplica-las aos seus correligionários e demais mensários - no caso da pena de morte; nem pensar - teria que praticar AUTOEXECUÇÃO se houvesse previsão dela para crimes de desvios de verbas ou para aqueles praticados pelos chamados colarinhos brancos – que, aliás, causam mais danos e muito mais graves que certos crimes tidos como hediondos.
Ademais, “nestepaiz”, a tal PENA DE MORTE* já existe, desde uns três ou quatros lustros e recrudesceu nesses dois lustros e meio, e tem sido praticada contra aos cidadãos de BEM e seus honestos contribuintesdestepaiz”; já há sim, ainda que não institucionalizada, oficializada e estatizada, i.e., ainda não posta, legalizada e impingida pelo Estado-Juiz, porquanto praticada, aplicada, imposta e impingida, paralelamente, pelos delinquentes juvenis ou infligida ou compelida por verdadeiros bandidosainda crianças e adolescentes”, sempre acobertados, protegidos e seguros pelo maior manto de impunidade que há “nestepaiz”: o tal de ECA – Estatuto de Criminosos Adolescentes – vide http://gouveiacel.blogspot.com.br/2011/08/o-brasil-acaba-com-o-tal-de-eca-ou-ele.html.
O busílis soturno acima tem recrudescido, pari passu, agravado, corroborado e apoiado, paulatina, sinistra, sorrateira e concomitantemente, pela tal nova “Lei antidrogas, que mais protege que educa, corrige ou castiga, numa leniência senão apologia ou incentivo ou proteção ao usuário de drogas, que é tido como débil ou demente ou dependente químico e que é a maior e mais poderosa RAZÃO DE SER e de EXISTIR do nefasto e odioso TRÁFICO – vide http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/03/cracolandias-e-internacoes.html e http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/06/o-flagelo-das-drogas-e-covardia-ou.html e http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/11/usuario-de-drogas-ou-dependente-quimico.html.
Aliado, ou somado a tudo isso que discorremos acima, o atual governo tem como maior preocupação a população carcerária, que inclui seus mais famosos correligionários e ora hóspedes do Sistema Penitenciário, a saber: http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/08/eu-vi-li-e-nao-cri-sera-que-isso-e.html e http://gouveiacel.blogspot.com.br/2013/10/sem-certeza-do-castigo-nao-ha-pena-que.html.
O nosso atual Sistema Criminal e Penitenciário “nada corrige por razões muito simples: não há certeza de um castigo como reprimenda ao delito praticado, bem como há brandura das leis penais e adite-se a elas as inúmeras possibilidades de progressão e “direitos” em demasia, para quem não andou direito, e, com menos de um terço ou, no máximo, com um terço, da máxima pena que é de trinta anos, estará fora para praticar quantos mais delitos desejar!
Preso mesmo fica, está e estará, para sempre, a vítima dele: delinquente juvenil drogado ou não! O de cujus, ceifado por esses criminosos “crianças ou adolescentes”, permanecerá preso ao seu túmulo, tumba, cova, campa, sepulcro, sepultura, mausoléu quando não despojado a esmo seus restos mortais.
Abr
JG













sexta-feira, 22 de novembro de 2013

PRESOS POLÍTICOS OU POLÍTICOS PRESOS ?

Joilson Gouveia*
O texto infra foi postado no Blog do Bob, da gazetaweb.com, que funciona como pregoeiro lulista-dilmista e arauto dos petralhistas mensários condenados e reclusos e, também, dos demais seguidores ou séquitos da sua cartilhazinha defasada de “esquerdistasPATAS”, ele é uma espécie de sucursal de uma revista tendenciosa em forma de semanário que se acha a “dona-a-verdade”: Carta Capital!
Para melhor entenderem, leiam ao que é dito no Blog do Bob – The Bob bobo! No URL a seguir, a saber: http://blogsdagazetaweb.com.br/blogdobob/o-coracao-do-ze-genoino-esta-por-um-triz/#comments
Urge, de logo, de pronto e desde já ou a priori, a devida, adequada e justa objurgação ao insinuado subliminarmente pelo arteiro, sagaz, matreiro e ludibriador contumaz pregoeiro dos petralhistas mensários, a saber:
a) Eles, talvez, tenham sido presos políticos – e isso, ainda assim, outrora e bem lá no passado quando muitos se autopuniram com exílio ou autobanimento - mas, hoje, na verdade, na prática, de fato, penal, processual e juridicamente falando, eles não passam de POLÍTICOS PRESOS, pois que cometeram ilícitos penais, delitos comuns e iguais aos demais delinquentes, administrativos, civis e políticos, além de indecorosos e aéticos! b) Suas “faltas” ou falhas e erros – digamos assim - ensejam, ab ovo, de logo e de pronto, não somente a suspensão des seus direitos políticos, mas, sobretudo, a devida cassação dos respectivos mandatos outorgados pelo povo. Aliás, é assim com qualquer servidor público condenados por sentença penal irrecorrível e acima de quatros anos de reclusão – ao castrense bastam apenas dois anos de privação de liberdade.
The Bob - The bobo, por favor, não queira confundir ao leitor menos avisado ou pouco esclarecido! Não prestes um desserviço desinformando seus leitores, sim?
Ademais, tentas vitimizar ou martirizar o réu, como se ele estivesse sofrendo as maiores agruras e cruéis sofrimentos ou tratamento desumano - que tal enviar ao dito cujo enfermo alguns dos seus compatriotas egressos de Havana?Afinal, além de comparsas, companheiros ou de seus camaradas, como os tais gostam de ser tratados, estariam sendo altruístas, fraternos, solidários e hermanos, literalmente! Ou não?
Além de falarem a mesma língua e idioma ainda terão harmonia uníssona de ideologias; ou não?
Ah! Se me passares teu e-mail te envio o holerite do pobre moribundo condenado, que sofre desses males todos e que tentas transformar em herói vitimizado e injustiçado pelas duras penas da lei!
Abr
JG

De oncinhas não pode! Pode?

Joilson Gouveia*
A matéria repercute devido ao sensacionalismo de sua manchete sobre uma eventual “truculênciapor parte de castrenses “desviados” de suas atividades-fim e que teriam BARRADO uma causídica por causa de sua indumentária de “oncinhas”: uma mini-saia ou micro-saia.
A rigor e a bem da verdade real dos fatos, nem estão desviados de suas funções ou atividades-fim porquanto há previsão legal e CONSTITUCIONAL das odiadas ASSESSORIAS MILITARESVide, pois, Art. 67 da CE/89. Ademais, eles cumprem NORMAS dimanadas do próprio TJ-AL, ínsitas em suas NGA e expedientes administrativos da mais alta corte estadual de Justiça.
Logo, se há arbitrariedade, abusividade ou ilegalidade certamente não se deve atribuir aos executores destas determinações, que os compelem a impedir o acesso à corte de quaisquer seres humanos em trajes indecorosos ou indecentes ou insuficientemente formais às formalidades solenes do requintado lugar – estariam ali os deuses do Olimpo ou semideuses romanos ou tebanos! Ou não?
Mas, enfim, duas coisas se sobressaem ou saltam aos olhos, a saber: a uma; insinuam truculência aos briosos castrenses, que sempre servem, atuam e agem com a mais adequada urbanidade possível em casos que tais – inclusive, certa feita, enquanto Major, fui orientado a não ingressar exata e justamente por trajar “inadequadamente” camisa branca polo de golas olímpicas, calça blue-jeans e tênis. Logo, depreende-se que é antiga a referida e indigitada determinação. Aliás, recentemente, aguardei à entrada, por estar de chinelas de couro do tipo alpercatas, até a vinda de uma assessora com quem desejara falar. A duas. É fato, pois, que há normas impeditivas ou restritivas de acesso ao Palácio da Justiça, onde os pobres mortais ou seres comuns e de trajes comuns não podem adentrar! (?) E de oncinhas, então! Pode? Never!
Enfim, a notória, notável e, agora, bem divulgada ou destacada causídica tinha mais que ciência das “arbitráriasdeterminações impeditivas haja vista ter sido orientada doutras vezes, segundo suas próprias palavras, a saber: "Não é a primeira vez que fui barrada no Tribunal. Em outra situação, há alguns dias, os militares disseram que eu não poderia entrar. Fui em casa e troquei de roupa. Graças a Deus o caso de ontem repercutiu na imprensa e acredito que essa postura infeliz não vai mais se repetir. Outras colegas, também já foram barradas. Certa vez, uma advogada teve de votar para a cidade de Arapiraca para trocar a roupa. Agradeço, publicamente, o apoio de todos os amigos”, contou a advogada. (Sic.) – sem grifos no original.
Doutras vezes nada fez; e repetiu a conduta inadequada ou usou seus trajes indecentes ou indecorosos e somente o fez para uma boa notoriedade, tipo aquela tal de minivestido ou tubinho cor-de-rosa ou róseo-choque e que virou uma celebridade nas bandas sudestedestepaiz”. Ou não?
Abr
JG